Nilton Fukuda/Estadão - 28/11/2019
Nilton Fukuda/Estadão - 28/11/2019

Black Friday: confira dicas para atrair clientes e impulsionar vendas

Festa do varejo deve ter promoções limitadas devido à inflação, então é preciso investir em boas estratégias de marketing e comunicação para chamar o cliente às compras

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2021 | 18h00

A Black Friday é um dos mais importantes eventos do ano para o comércio, que costuma investir em ações para atrair o público e conseguir bons resultados em vendas. Este ano, porém, será um pouco diferente, porque o aumento da inflação vai limitar as promoções e tornar a festa do varejo mais “morna”. Para driblar a dificuldade e chamar o cliente às compras, vale investir em estratégias de comunicação, saber usar as redes sociais e apostar no diferencial do negócio.

Por causa da pandemia, a digitalização das pequenas empresas se intensificou e foi o que, para muitas, salvou as contas. Pesquisa do Sebrae de julho deste ano mostra que 67% dos micro e pequenos empreendimentos investiram em ferramentas digitais, seja redes sociais ou sites. Neste último caso, o empreendedor ainda pode escolher entre vender em marketplaces ou ter um canal próprio. É preciso entender as características de cada um, como funções, custos e logística.

De modo geral, o que vale para a Black Friday é essencial durante todo o ano, porque atrair e reter clientes, aprimorar o negócio e fazê-lo crescer é um trabalho contínuo. Cabe também ao dono de negócio buscar conhecimentos por meio de cursos, muitos deles gratuitos ou a preço mais acessível.

Abaixo, reunimos alguns conteúdos que podem ajudar o empreendedor nas estratégias de vendas para a festa do varejo.

Marketing digital

Para especialistas em pequenos negócios, estar fora do digital não é opção, uma vez que o lema é estar onde o cliente está. No Brasil, 160 milhões de pessoas utilizam a internet, 150 milhões são usuários ativos de redes sociais e mais de 100 milhões fizeram pelo menos uma compra online em 2020.

Assim, ter boas estratégias de marketing digital é importante - e não se trata apenas de criar uma conta no Instagram ou abrir um site. Há um processo mais amplo que envolve conhecer bem seu público, analisá-lo e entender quais canais digitais são mais adequados ao seu empreendimento. Neste vídeo, o analista de relacionamento com o cliente do Sebrae Ivan Tonet dá quatro dicas sobre o tema.

Invista nas redes sociais

Você não precisa estar em todas as redes sociais, mas é importante estar naquela que mais faz sentido para a sua empresa. O Instagram já se consolidou como canal de vendas para os pequenos negócios (veja aqui) e o TikTok, que começou como um polo de dancinhas e desafios, também se mostrou com grande potencial comercial.

Porém, somente divulgar produtos e serviços em um discurso agressivo de “compre e compre” não funciona no longo prazo. Segundo André Siqueira, cofundador da empresa de marketing RD Station, os empreendedores devem estabelecer uma nova forma de pensar: investir na geração de valor aos clientes antes da venda.

Ele afirma que o principal desafio de incorporar as redes sociais às estratégias de marketing digital é conseguir adequá-las ao objetivo da empresa. “A maioria das empresas falha em não entender as posições do marketing. Elas pensam em como divulgar, como vender mais, mas a mecânica e a lógica (das redes sociais) não favorecem isso.” Confira aqui as orientações do especialista.

Marketplaces são opção

Pequenos negócios, principalmente iniciantes, podem esbarrar no desafio de aumentar a cartela de clientes. Atuar em um nicho ou de forma muito localizada acaba restringindo as possibilidades de ser conhecido em outros polos. Uma alternativa para ampliar a capilaridade é analisar se a sua empresa está apta a vender nos marketplaces. 

Esses espaços funcionam como um grande shopping online em que diversas lojas vendem produtos e serviços. Magalu, Amazon e Mercado Livre são grandes exemplos que vêm investindo cada vez mais para atrair pequenos negócios para as plataformas. Antes de optar por alguma, é importante entender os prós e contras de estar em um site desses ou ter um e-commerce próprio, questão explicada neste vídeo pelo analista de competitividade do Sebrae Flávio Petry.

Envio de produto e controle de estoque

Mesmo com os desafios econômicos brasileiros, a Black Friday se mostra como um período favorável ao aumento das vendas, mesmo que menor em comparação a anos anteriores. Com a demanda, o empreendedor precisa ter uma boa gestão do estoque e investir na melhor logística para envio do produto.

Os consumidores estão atentos à qualidade e tempo de entrega tanto quanto às promoções e isso conta pontos na hora de decidir se volta a comprar daquele vendedor. Para orientar o empreendedor, veja aqui algumas dicas para escolher a melhor forma de transporte para seu e-commerce e como integrar estoques.

Saiba reter o cliente

Estar em contato com seu público-alvo é fundamental em todas as etapas, desde antes de conquistar um cliente até o pós-venda. Se a sua empresa vende online, ter uma comunicação assertiva, investir na experiência do cliente e apostar na personalização são alguns dos passos decisivos para fidelizar o comprador.

A dica é importante principalmente quando falamos de vendas pela internet, em que o consumidor não tem como tocar e testar o produto ou serviço. Ele precisa ser bem informado para confiar no que está comprando.

Ter ao menos um cliente fidelizado é a chance de atrair mais, porque “o público cria uma intimidade com a marca e, com isso, quer trazer as pessoas da sua comunidade para conhecer essa empresa”, diz a consultora Cristiane Aguiar. Neste texto, ela explica como aplicar essas estratégias.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.