7 dicas para descomplicar a gestão do seu negócio

7 dicas para descomplicar a gestão do seu negócio

Organizar os tempos pessoal e profissional e simplificar a parte financeira facilitam a gestão da pequena empresa; especialista do Sebrae-SP lista dicas

Redação

19 de agosto de 2021 | 12h35

Por Rafael de Souza, consultor do Sebrae-SP

Empreender não é uma tarefa fácil. Além dos conhecimentos sobre gestão empresarial, é necessário que o empreendedor tenha muita inteligência emocional para lidar com os desafios diários que o negócio proporciona. Se não tiver sócio ou uma equipe, esse desafio fica ainda maior.

Diante deste contexto, é importante que o próprio empreendedor não complique ações simples como as citadas a seguir, caso contrário, a empresa pode ser acometida de problemas que impedirão seu crescimento, visto que gerará diversos incêndios diários a serem apagados.

Antes de falar das 7 dicas para você descomplicar a gestão do seu negócio, quero destacar a minha inspiração para escrever este conteúdo: Kabhane Khaby Lame, nascido no Senegal, na África, vive com os pais em Chivasso, cidade de 23,5 mil habitantes na província de Turim na Itália.

Kabhane nos faz rir muito com críticas inteligentes a tiktokers em filmes sem falas, demonstrando que coisas simples podem ser feitas de forma simples, não é necessário complicar. Seu canal no TikTok já ultrapassou a marca dos 83 milhões de seguidores. Uma grande inspiração, certo?

Bom, agora sim, bora descomplicar a sua vida de empreendedor e a gestão do seu negócio!

Organização de tempo e de cadastro de clientes ajudam na gestão de negócios. Foto: Felipe Furtado/Unsplash

1) Descomplique a gestão financeira da empresa

Muitos empreendedores reclamam que fazer controle e gestão financeira do negócio é muito difícil, principalmente aqueles que fazem isto de cabeça, no papel ou em planilhas eletrônicas. Concordo com estes empreendedores, porém, é possível descomplicar.

Hoje em dia, existem muitos aplicativos e softwares gratuitos e pagos que ajudam não somente a organizar a gestão financeira, mas, também, na gestão de marketing, de vendas e de pessoas. Você encontra na internet este tipo de ferramenta com outro nome: ERP (Sistema Integrado de Gestão).

Faça uma pesquisa no Google sobre “App de gestão empresarial”. Você encontrará uma infinidade de opções. Mas o que deve considerar na escolha de um aplicativo de gestão? Para você escolher boas opções de aplicativos, é importante definir:

  • O que você espera que a ferramenta faça em prol da gestão e do controle do seu negócio;
  • Quais recursos são indispensáveis, tais como controle e gestão financeira, controle de estoques, controle de vendas, cadastro de clientes e fornecedores, suporte operacional do fornecedor do aplicativo, relatórios que a ferramenta emite, segurança das informações, etc.
  • Qual o recurso financeiro disponível que você tem para investir na ferramenta;
  • O que você planeja de futuro para o seu negócio, visto que ficar mudando de ferramenta de gestão a toda hora é ruim para o negócio, então, não precisa contratar todos os recursos de primeira, mas é importante já saber quais novos poderá acessar no futuro.

Mas o que o Sebrae-SP tem para me indicar de ferramentas de gestão empresarial? Opa, que bom que perguntou. Conheça o Sebrae Conecta, onde são disponibilizadas soluções do Sebrae e de parceiros sob medida para que a sua empresa se digitalize e avance na direção desses resultados.

2) Descomplique a criação de artes para o seu negócio

Se você não tem tempo ou criatividade para fazer artes para postagens nas redes sociais, cartão de visita, apresentações, infográficos, propostas comerciais, currículo, etiquetas, panfletos, dentre outros materiais, conheça a ferramenta gratuita e muito popular chamada Canva.

Na internet você achará várias outras ferramentas que podem lhe ajudar na criação do seu enxoval de marketing. Mas, quero aqui destacar o Canva porque é fácil de utilizar pela internet ou pelo smartphone (APP), além de possuir muita qualidade.

Você pode até ter um excelente produto ou serviço, mas se falhar na divulgação por usar uma foto ou arte de má qualidade pode colocar tudo a perder.

É importante ressaltar que é sempre bom contar com o apoio de um profissional de marketing, mas a ferramenta em questão lhe ajuda a fazer o ‘arroz com feijão’ enquanto a grana está curta.

3) Descomplique a vida do seu cliente e a sua também

Você tem dificuldade em entender o que seu cliente quer e tem perdido clientes por isso? Utilize ferramentas como mapa da empatia, pesquisa de satisfação e pesquisa de mercado para conhecê-los melhor.

A visão clara sobre seus clientes permitirá identificar o que eles estão tentando realizar ou completar, além de quais problemas que estão tentando resolver ou necessidades que desejam satisfazer, em relação a: tempo, dinheiro, performance, incômodo, estética, entre outros.

Clientes não compram produtos e serviços sem um propósito, eles compram pensando no resultado e no benefício que a compra gerará. Exemplo: uma jovem mulher quando vai ao cabeleireiro compra o referido serviço e o resultado impactará em sua autoestima, identidade, marketing pessoal, dentre outros aspectos.

Diante do exemplo acima, perceba que quando a empresa pensar em fazer marketing digital nas redes sociais, principalmente por meio de marketing de conteúdo, não focará tanto nas especificações do serviço, mas sim nos benefícios gerados por ele (onde está o foco do cliente).

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

4) Descomplique para cadastrar seus clientes e se relacionar com eles

Você reconhece a importância de fazer cadastro de clientes, mas eles não gostam de fazê-lo, certo?

Existem duas formas básicas da sua empresa aumentar o faturamento: a primeira é captar novos clientes, já a segunda é incentivar os clientes atuais a gastarem mais no seu negócio. Advinha qual é a mais barata e simples? A segunda, mas, para isso, você precisa dos dados deles para se relacionar.

Descomplique esta barreira que seus clientes apresentam, utilize programas de fidelidade e de recompensa para aumentar o incentivo. Para isto, utilize ações promocionais que requeiram o cadastro para ter acesso a descontos especiais, sorteios, brindes, cashback, entre outros.

5) Descomplique o posicionamento da marca da sua empresa para os clientes

Seu negócio tem atraído clientes que só reclamam do preço e que não entendem o valor agregado do seu produto ou serviço? Cuidado, você pode estar contribuindo para isso ao complicar a comunicação da sua empresa com os seus clientes.

Para evitar este tipo de problema é importante que você defina claramente quem é o seu cliente. A construção da buyer persona (representação semifictícia do seu cliente ideal) pode lhe ajudar em muito nesta empreitada.

Importante: Por favor, nada de definir seu cliente como “qualquer um que queira comprar” ou, pior ainda, “todo mundo” (pior porque inclui até quem não quer comprar). Cada vez mais o consumidor quer uma comunicação personalizada, não dá para fazer isto sem segmentar seus clientes.

Ao não definir claramente quem são seus clientes – algo que prejudica a sua comunicação com eles, na prática – é provável que você esteja cometendo alguns equívocos, tais como:

  • O marketing promocional não está transmitindo claramente aos seus clientes o valor agregado que você possui em seus produtos e serviços, então, quanto menos o cliente tem a percepção de valor maior será a sua sensibilidade em relação a preço.
  • Ter a fama de “é só chorar que abaixam o preço”. É importante que você tenha uma política de preço clara e bem definida em relação a forma de pagamento, prazos e descontos para trabalhar com preços que mantenham seu negócio competitivo.
  • O valor de referência dos clientes não está devidamente alinhado, eles estão comparando diferentes como iguais, ou seja, comparando o seu produto ou serviço com algo inferior que a concorrência oferece.
  • Os clientes utilizam a estratégia do “tá caro” como uma objeção para abrir espaço para uma negociação, a qual nem sempre está relacionada a preço, mas em relação a forma de pagamento e prazo.
  • Se você não faz o devido estudo de seus principais concorrentes para comparar preço e valor, pode ser realmente que seus produtos e serviços estejam com preços acima da concorrência.
  • Por fim, mesmo que você tenha feito tudo certo, pode acontecer de aparecer alguns poucos clientes que ainda reclamarão do preço, porém, não abra mão do seu posicionamento de mercado, deixe o cliente ir para a concorrência, não dá para atender a todos quando seu foco é valor.

6) Descomplique a sua timidez para falar promover o seu negócio

Já reparou que muitos empreendedores de sucesso são excelentes comunicadores? Isto não quer dizer que tímidos não fazem sucesso, vale a pena ficar um pouco ‘sem vergonha’.

Muitos empreendedores se preocupam com marketing digital, marketing de conteúdo, marketing de diferenciação, inbound marketing, outbound marketing, neuromarketing e muitos outros temas, mas se esquecem do marketing pessoal.

Principalmente para quem é empreendedor de uma pequena empresa, é quase impossível dissociar a imagem da empresa de seu dono.

Muitos cometem o erro de se esconder por desconhecimento do poder do marketing pessoal, por timidez, por falta de familiaridade com as tecnologias das redes sociais ou por auto sabotagem (acham que não são bons o suficiente para aparecer).

Mas, se você é empreendedor, lembre-se que você é o principal representante da sua empresa. Além disso, quem não é visto não é lembrado, não basta ser bom, tem que parecer ser bom!

Algumas dicas para você refletir e trabalhar melhor com sua timidez são:

  • Busque o autoconhecimento. Para se comunicar bem é preciso se conhecer para depois conhecer e se relacionar com pessoas;
  • Deixe o orgulho de lado, não se compare aos outros, permita-se errar e apreender, lembre-se que antes de aprender a correr você aprendeu a andar;
  • Observe, planeje, prepare-se, estude, simule, descubra o novo, desenvolva-se, inspire-se nos melhores, mas não os imite, faça no seu estilo sem perder sua identidade;
  • Seja humilde, peça ajuda, admita e aceite que não sabe tudo, não tenha preconceitos e aceite conhecer e experimentar o novo.

7) Descomplique sua agenda para focar no que importa

Já aprendeu muito sobre marketing e finanças para melhorar os resultados da empresa, mas ela continua do mesmo jeito porque lhe falta tempo para aplicar o que aprendeu?

Primeiro aprenda sobre gestão de tempo (confira vídeo abaixo), sem tempo nenhum outro conhecimento lhe será útil, pois você precisa de espaço na sua agenda para implantar o que aprendeu.

Como diz o velho ditado ‘tempo é dinheiro’, então, como vai a gestão do tempo em seu negócio? Você é senhor ou escravo do seu tempo? Consegue gerir e planejar tranquilamente o seu negócio ou faz ‘gestão bombeiro’, ou seja, apaga incêndios o dia todo?

Você tem dúvidas se precisa melhorar sua gestão do tempo na empresa? Se apresenta alguns dos sintomas a seguir, sim, você e sua empresa precisam melhorar a gestão do tempo:

  1. Encontra dificuldades para equilibrar o tempo entre a vida pessoal e profissional, o que afeta diretamente a sua saúde, tendo a ansiedade como um dos primeiros sintomas;
  2. Faz gestão bombeiro na empresa, restringindo-se apenas a fazer controle de indicadores, sem tempo para conversar com a equipe, pesquisar o mercado e implantar inovações no seu negócio;
  3. Perde prazos constantemente, tendo reclamações recorrentes de clientes por causa disso;
  4. A qualidade dos produtos e serviços está comprometida visto que eles são produzidos com pressa, sem a possibilidade da verificação dos padrões de qualidade;
  5. Não tem tempo suficiente para identificar ou resolver problemas, tendo que esconder a sujeita por debaixo do tapete.

Conforme você pode perceber, uma má gestão do tempo gera muitos problemas desagradáveis. Em contrapartida, se você fizer uma boa gestão você melhora a produtividade, tem menos estresse, gera menos retrabalho, consegue um equilíbrio maior do tempo e torna-se dono dele.

Para melhorar a sua gestão do tempo sua primeira tarefa é planejar, podendo utilizar ferramentas, aplicativos e a boa e velha agenda para isso, organizando cada dia, no mínimo no período semanal, mas de preferência mensal, para facilitar a visualização de prioridades e padronizar a sua rotina.

Na etapa de planejamento é importante ter muito claros objetivos, metas, indicadores, planos de ações e cronograma, então, a segunda dica para melhorar a gestão do tempo é zelar por tudo isso, corrigindo aquilo que foi planejado quando necessário.

Por fim, a terceira e última dica é ficar atento para não cair nos ladrões de tempo, eles roubam sua produtividade e tiram o seu foco, tais como: falta de planejamento, procrastinação, não saber dizer não, não delegar tarefas quando pode, não gerenciar distrações (ex: WhatsApp e redes sociais).

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismoSebraemarketing

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.