Divulgação
Divulgação

Programa gratuito vai capacitar mulheres em situação vulnerável

Programa Ela Segura quer impactar mais de 50 mil mulheres com cursos de capacitação gratuitos, além de bolsas de auxílio-alimentação e aportes financeiro para empreendedoras

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2021 | 15h08

Oferecer qualificação profissional a mulheres em situação de vulnerabilidade social é uma das maneiras de alavancar a presença feminina no mercado de trabalho. Com este objetivo em mente, o Instituto RME (IRME) e a Fundación Mapfre lançaram o Ela Segura, um programa que vai auxiliar brasileiras a desenvolverem habilidades comportamentais e técnicas para voltarem ao mercado de trabalho ou empreenderem. 

Mais de 50 mil mulheres terão acesso a cursos remotos de administração financeira, comunicação, fundamentos de empreendedorismo, empregabilidade, marketing e outros temas. O programa também oferecerá bolsas de auxílio alimentação de R$ 110 por seis meses para mais de 2.500 selecionadas.

Ao final de um ano, o Ela Segura vai selecionar 160 negócios próprios e disponibilizar um aporte financeiro de R$ 3 mil para investimentos. Para Fátima Lima representante da Mapfre no Brasil, mulheres que querem empreender são uma das chaves para o desenvolvimento econômico do País. 

“O empreendedorismo feminino é um importante instrumento de inclusão e transformação social. Ao empreender, a mulher não apenas cria o seu próprio negócio, como rompe ciclos de violência, falta de visibilidade, respeito e empoderamento", diz ela.

Para participar do programa, mulheres de todas as regiões do Brasil que moram nas zonas de periferia podem acessar o site do Ela Segura e se inscrever gratuitamente. Em decorrência da pandemia, todos os cursos serão ministrados remotamente. 

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.