Patricia Stavis
Patricia Stavis

Nova economia: VP do Ifood dá dicas para adaptar empresa

Em vídeo, Diego Barreto ensina a identificar práticas da velha economia nos negócios e aponta possíveis desafios para o empreendedorismo pós-pandemia

Marina Dayrell, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2021 | 14h00

Surgida antes da pandemia, a nova economia ganhou impulsos ainda mais fortes durante o isolamento social. No último um ano e meio, as empresas que ainda não haviam experimentado o mundo online precisaram fazer às pressas a transformação digital, levando para o dia a dia a análise de dados e colocando o usuário como item central na estratégia do negócio.

Quem ainda não se adaptou à nova economia, terá que o fazer em um futuro próximo, acredita o vice-presidente de finanças e estratégia do iFood, Diego Barreto. A boa notícia é que mesmo empresas que não possuem base tecnológica podem se adaptar. O assunto virou tema do livro Nova Economia: Entenda por que o perfil empreendedor está engolindo o empresário tradicional brasileiro - escrito por Barreto e lançado este ano. 

“Entender o que é a velha economia é olhar para aquelas âncoras que a sua empresa tem e que, na prática, você as tem porque você as agarrou um dia e tem dificuldade de compreender o novo”, explica.

Convidamos o especialista a responder três perguntas sobre a nova economia. No vídeo abaixo, ele ensina a identificar práticas da velha economia na sua empresa, dá dicas de como migrar de modelo mesmo não tendo um negócio de base tecnológica e levanta possíveis desafios para o empreendedorismo pós-pandemia. 

Confira o vídeo abaixo: 

Envie sua pergunta

O quadro '3 perguntas para' recebe especialistas para responder dúvidas dos leitores sobre carreira e empreendedorismo. Se você tem perguntas sobre mercado de trabalho e negócios, envie para pme@estadao.com ou por meio das nossas redes sociais. Receba também conteúdos sobre os temas e participe de discussões com profissionais na comunidade do Estadão Carreira e Empreendedorismo no Telegram. Para entrar no grupo, clique aqui.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.