BNDES Garagem anuncia 25 empresas para programa de aceleração

BNDES Garagem anuncia 25 empresas para programa de aceleração

Iniciativa fomenta empreendedorismo de impacto, focado em resolver problemas sociais e ambientais; os 25 negócios selecionados passarão por aceleração de quatro meses

Maure Pessanha

03 de novembro de 2021 | 18h43

No Brasil, o ecossistema de negócios de impacto socioambiental tem vivenciado, nos últimos anos, uma expansão consistente. Um dos sinais deste desenvolvimento é o apoio crescente de grandes players de diferentes setores a programas de aceleração. Uma recente iniciativa é o programa BNDES Garagem – Negócios de Impacto, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A iniciativa, conduzida em parceria com o Consórcio AWL (Artemisia, Wayra e Liga Ventures) está contribuindo para a criação e a aceleração de soluções desenhadas por empresas que atuam no desenvolvimento de produtos e serviços com retorno positivo para a sociedade e o mercado. Em essência, o programa fomenta o empreendedorismo focado em resolver problemas sociais e ambientais.

Lançado no primeiro semestre de 2021, o BNDES Garagem acaba de selecionar 25 negócios para um processo de aceleração focado em oferecer suporte necessário à validação das soluções no mercado ao longo de quatro meses.

Com 1.336 inscritos e uma abrangência nacional, metade dos empreendedores selecionados são oriundos de Nordeste, Sul e Centro-Oeste; além disso, há uma presença expressiva de mulheres na liderança dessas empresas. Na prática, esses dados mostram a expansão do empreendedorismo de impacto socioambiental por todo o País. No primeiro ciclo do programa serão acelerados 45 negócios.

Programa do BNDES tem o objetivo de enriquecer o ecossistema de inovação. Foto: Nacho Doce/Reuters

A seguir, destaco as 25 empresas selecionadas, que receberão o apoio de especialistas em aceleração de startups e acesso a conteúdos sobre inovação, empreendedorismo e impacto social, além de acesso a uma rede de mentores altamente qualificados. Os participantes também contarão com serviços gratuitos ou subsidiados e conexão com potenciais parceiros públicos e privados.

Arquitetura Faz Bem: a startup realiza obras padronizadas, pensadas em escala industrial para gerar agilidade, incluindo projeto de arquitetura personalizado, todo o material de construção, equipe de obra qualificada e treinada; o serviço pode ser parcelado em 30 vezes no boleto, sem restrição de crédito a pessoas negativadas.

Bright Cities: a plataforma produz um diagnóstico completo de cidades inteligentes do município a partir de 160 indicadores globais, alinhados com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, com indicadores das ISSO – que avaliam 10 áreas de gestão urbana – e um roteiro personalizado de soluções adequadas para problemas específicos do município; a partir disso, a Bright Cities indica cidades regionais e globais de referência, tendo como base a performance das mais de 36 mil cidades incluídas na plataforma.

Caren: com um sistema de protocolos inteligentes, a Caren permite que os profissionais de saúde acompanhem toda a jornada do paciente: desde o pré-atendimento aos protocolos de pós-atendimento para o monitoramento do quadro clínico e que geram alertas em caso de piora dos pacientes; a Caren trabalha sempre para permitir a melhora nos atendimentos e na relação médico com paciente.

Central da Visão: com um atendimento acolhedor em ambiente 100% digital, a startup desenvolveu soluções integradas de tecnologia capazes de identificar médicos com muita prática cirúrgica e centro cirúrgico próprio para criar pacotes completos de cirurgia até 40% mais baratos, com pagamento parcelado no cartão de crédito.

Darsh Soluções Educativas: a empresa desenvolveu o Bobby, uma tecnologia de análise de dados que busca auxiliar gestores e professores de escolas públicas no processo de avaliação de aprendizado e tomada de decisões que a sala de aula demanda; ele possibilita uma avaliação automatizada, personalizada e inteligente, oferecendo aos alunos o melhor direcionamento possível para corrigir suas falhas e deficiências de forma individualizada e, assim, ajudar escolas públicas a melhorar o desempenho dos seus alunos desde os anos iniciais.

Eneergia | See Energy: a startup constrói soluções sustentáveis ligadas à eficiência energética por meio de um SaaS (Software as a Service, na sigla em inglês, ou software como serviço), que reúne inteligência de mercado, ferramentas de análise multicritério, avaliação de desempenho e métodos estatísticos; os dados energéticos de uma empresa são adicionados e transformados em informações numéricas que mostrarão indicadores de sustentabilidade, o nível de eficiência energética e o potencial de conservação de energia a ser desenvolvido.

Glic: uma plataforma web/mobile que conecta paciente, médico, nutricionista e gestor populacional no acompanhamento do tratamento de diabetes, integrando o app de suporte à decisão ao tratamento, WhatsApp bot para interação e coleta de dados, prontuário para prescrição eletrônica e ferramenta de inteligência de negócio (BI, na sigla em inglês) para gestão populacional.

Incentiv.me: oferece produtos e serviços para o ecossistema das leis de incentivo a fim de solucionar as dificuldades que existem tanto para as empresas quanto para os proponentes, oferecendo um serviço específico para cada um deles.

Korui Alternativas: a startup desenvolve soluções menstruais reutilizáveis que ressignificam a relação das pessoas com a natureza e o próprio corpo; é menos lixo, menos tabu, mais saúde, mais conforto e mais liberdade.

Lemobs: a startup criou o SIGELU, uma solução tecnológica composta por um conjunto de plataformas pensadas para a melhoria dos serviços públicos municipais, auxiliando no processo de transformação digital das cidades e tornando-as inteligentes, conectadas e inclusivas. A plataforma atua na fiscalização, no atendimento ao cidadão, na coleta de resíduos, nas obras, na saúde, no meio ambiente, nos direitos humanos, na educação e no companhamento nutricional de alunos de escolas públicas.

LiaMarinha: desenvolve e aplica tecnologias ecológicas e sustentáveis para melhorar a qualidade das águas; a tecnologia não utiliza produtos químicos e não demanda energia elétrica, além de oferecer simples instalação e manutenção, o que proporciona baixo custo operacional para o cliente e melhores resultados na gestão da água.

ManejeBem: trabalha com grandes empresas que desejam desenvolver comunidades agrícolas rurais. Pelo aplicativo ManejeChat fornece assistência técnica rural de qualidade diariamente (on-line e presencial), sistematicamente coletando e monitorando a melhora de dados quanto a parâmetros sociais, ambientais e agronômicos (são mais de 300 parâmetros sujeitos a serem acompanhados), traçando planejamentos estratégicos de melhoria nas comunidades.

Morada da Floresta: a startup desenvolve soluções práticas para a realização da compostagem no próprio local de geração dos resíduos (compostagem in loco), de fraldas ecológicas e soluções para menstruação sustentável, como absorventes ecológicos, coletores menstruais e calcinhas absorventes.

Movimento #EUVISTOOBEM: possibilita uma segunda chance para quem busca ressocialização com uma iniciativa que promove a produção de roupas com tecidos provenientes da reciclagem de garrafas PET e aparas de algodão dentro de duas unidades prisionais em São Paulo e em um núcleo na Vila Leopoldina; para tanto, emprega ex-detentas e outras mulheres em situação de baixa empregabilidade.

Portal de Compras Públicas: a startup é responsável por divulgar e operar as licitações de mais de 2.000 municípios brasileiros, centralizando o alerta de oportunidades de negócio e simplificando o acesso das empresas a disputas que anteriormente não seriam sequer percebidas como oportunidades.

Recigases: atua na regeneração dos fluidos para seu estado original para que possam continuar a ser utilizados por toda a vida útil dos equipamentos de refrigeração; a startup opera em todas as soluções necessárias para o recolhimento de fluidos refrigerantes, como locação de cilindros e recolhedoras.

SDW: a startup desenvolveu a Aqualuz, tecnologia destinada a resolver o problema de contaminação microbiológica da água de regiões áridas, que causa doenças de veiculação hídrica; a tecnologia funciona usando apenas luz solar para desinfectar a água de chuva e torná-la própria para consumo.

SOLOS: criada na Bahia, a startup apoia marcas na superação de desafios de negócios relacionados à economia circular por meio de soluções que facilitam o descarte sustentável das embalagens.

Stella Energia: a startup oferece assinatura on-line de energia renovável, mais barata que o custo atual da distribuidora de energia, sem investimento pelo cliente e sem fidelidade.

T&D Sustentável: a empresa desenvolveu o Sistema de Economia de Água (SEA), um modelo de gestão de recursos hídricos que atua com tecnologia e metodologia próprias, que oferece uma ampla gama de serviços relacionados à otimização do consumo interno de água, como detecção e correção de vazamentos, técnicas de padronização de consumo, capacitação do corpo laboral, implementação de sensoriamento de consumo de água, análise de perfil de consumo em tempo real e implementação de projetos de melhoria.

Telite: startup que recicla e transforma resíduos em novos produtos ecológicos e eficientes; atua na produção de telhas com 100% de material reciclado, por meio do programa de logística reversa.

TerraMares: a startup produz biofertilizantes e biomoléculas usando microalgas (cianobactérias) brasileiras; o produto é 100% nacional, criado em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e o Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA).

Toti Diversidade: plataforma de ensino presencial e on-line que capacita refugiados em diversas áreas da programação, de acordo com as demandas específicas das empresas.

Troca: com um software próprio de gestão, engajamento e inclusão da diversidade, a startup ajuda as empresas a medir, sensibilizar, educar e incluir a diversidade no ambiente de forma efetiva e duradoura.

UsuCampeão: a companhia usa tecnologia para agilizar o processo da entrega das escrituras dos imóveis, por meio da Regularização Fundiária Urbana (REURB), oferecendo uma plataforma integrada até a entrega de certidão de regularização fundiária (CRF) em tempo recorde.

* Maure Pessanha é empreendedora e presidente do Conselho da Artemisia, organização pioneira no fomento e na disseminação de negócios de impacto social no Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.