ESTADÃO PME » » notícias

Oportunidade| 20 de janeiro de 2019 | 6h 00

Refugiados levam experiências culturais ao Airbnb em SP

Site de hospedagens e ONG Migraflix vão capacitar 50 refugiados, que depois venderão imersões na plataforma

Letícia Ginak - O Estado de S.Paulo

Yilmary de Perdomo chegou ao Brasil há dois anos e oito meses com uma solicitação de refúgio. Venezuelana, a terapeuta ocupacional buscou no Brasil uma oportunidade para recomeçar. Atuar na profissão não foi possível, pois sua formação não é válida no País e a as barreiras para regularizá-la a fizeram desistir de trabalhar na área. Mergulhar em suas raízes foi a saída para obter renda.

“Minha filha me pediu para fazer um presente para sua professora. Decidi preparar uma receita típica da Venezuela. Foi o primeiro passo para começar a fazer bolos por encomenda. Depois, comecei a vender café da manhã no ponto de ônibus.” Foi assim que as receitas de família guiaram Yilmary para o empreendedorismo.

Começou a participar de programas de capacitação da ONG Migraflix, que atua com refugiados e imigrantes em situação de vulnerabilidade em São Paulo, passou a participar de feiras gastronômicas e a fazer jantares para grupos.

A venezuelana Yilmary de Perdomo, uma das selecionadas para programa do Airbnb e ONG Migraflix. Foto: Fernando Ambrósio/La Baraque Creative 

A venezuelana Yilmary de Perdomo, uma das selecionadas para programa do Airbnb e ONG Migraflix. Foto: Fernando Ambrósio/La Baraque Creative 

Agora, viu seu negócio ganhar outro tipo de visibilidade, depois que a ONG fechou  parceria com a plataforma de hospedagens Airbnb. Para fortalecer e pulverizar o trabalho dos refugiados e imigrantes, a Migraflix e o Airbnb vão capacitar 50 pessoas dentro do programa Raízes na Cidade. Com ele, os usuários do aplicativo poderão usufruir experiências nas culturas dos imigrantes.

Workshops e mentorias são o pilar do Raízes na Cidade, cujas aulas vão de março a junho. Além de Yilmary, outros quatro refugiados já foram selecionados para a turma de 50 alunos, por atuarem na ONG há mais de um ano – o angolano Ermildo Panzo, o boliviano Miguel Gómez Guerra, a guianense Renée Londja e o sírio Hussam Adin. Para os escolhidos, a única exigência é o conhecimento intermediário da língua portuguesa. E Yilmary não esconde, em bom português, a expectativa de melhorar seu negócio com o Raízes na Cidade.

“Quero mostrar para mais pessoas que a Venezuela tem muito mais do que  problemas. Temos uma cultura muito linda. Poder transmiti-la não só aos paulistanos, mas para outras pessoas que chegam à cidade, é muito importante para mim.”

O nome do projeto é inspirado no programa Raízes na Cozinha, da Migraflix, entidade que tem no empreendedorismo cultural um canal para mudar a vida de quem  carrega o artesanato,  a música e a comida de seu país como única bagagem.

“Apoiamos os refugiados e imigrantes empreendedores que querem montar negócios que representam as suas culturas. Uma das principais ações é o Raízes na Cozinha, específico para quem quer trabalhar com comidas típicas. Também realizamos workshops em que eles ensinam suas culturas para os brasileiros, como o de artesanato da Guiana, o de poesia angolana, o de dança congolesa e os de caligrafia árabe e urdu”, conta o fundador da Migraflix, o argentino Jonathan Berezovsky.

Renée Londja (Guiana), Ermildo Panzo (Angola), Hussam Adin (Síria) e Miguel Gómes Guerra (Bolívia) também foram selecionados para o projeto. Foto: Fernando Ambrosio/La Baraque Creative

Renée Londja (Guiana), Ermildo Panzo (Angola), Hussam Adin (Síria) e Miguel Gómes Guerra (Bolívia) também foram selecionados para o projeto. Foto: Fernando Ambrosio/La Baraque Creative

Após a conclusão do programa, os imigrantes poderão cadastrar suas experiências no Airbnb e receberão 100% do valor das vendas. Segundo a gerente de comunicação do Airbnb no Brasil, Adriana Lutfi, as experiências  serão cadastradas na área de impacto social do site, por isso não será cobrada comissão sobre as vendas. “Como São Paulo tem essa característica de reunir diversas culturas, pensar neste tipo de projeto foi um processo bastante natural”, conta Adriana.

No workshop, um especialista da plataforma ensinará sobre como cadastrar a experiência e ainda vai orientar sobre a prática de valores, compatíveis com as já praticadas pelo Airbnb. A Migraflix cuidará dos ensinamentos sobre gestão e administração financeira.

Para Berezovsky, a ideia é profissionalizar os workshops e levar os refugiados a outro patamar, “com sofisticação”. “Entendo que a parceria fará com que alcancemos mais pessoas, tanto paulistanos quanto quem visita a cidade e se interessa por essa oferta cultural. É um canal que pode nos ajudar a chegar a milhares de pessoas.”

As inscrições para o programa devem ser feitas pelo e-mail equipe@migraflix.com.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui