ESTADÃO PME » » notícias

Encontro Pró-PME| 26 de setembro de 2018 | 22h 38

Mulheres empreendem em negócios inovadores

No último painel do primeiro dia do Encontro Estadão Pró-PME, a publicitária Nana Lima, da consultoria Think Eva, e a skatista Karen Jonz, refletem sobre o papel da mulher no empreendedorismo

Elcio Padovez, especial para - O Estado de S.Paulo

A skatista, designer e influenciadora, Karen Jonz. Foto: Rafael Arbex /Estadão

A skatista, designer e influenciadora, Karen Jonz. Foto: Rafael Arbex /Estadão

A skatista paulistana Karen Jonz já venceu por quatro vezes o mundial de skate, e é referência quando se fala desta modalidade no Brasil. Mas quando perguntam se ela é empreendedora, Karen não tem muita certeza, já que muitos têm a imagem do empreendedor como alguém que usa tailleur ou terno e gravata. Bem longe disso, e no painel Tudo é Empreendedorismo, que fez parte do Encontro Estadão Pró PME, a atleta, junto com uma das fundadoras da consultoria feminina Think Eva, Nana Lima, mostrou uma face bem mais descolada e contemporânea do universo dos negócios.

Segundo Karen, empreender é a capacidade de ver uma ideia que não existe no mundo e concretizá-la. “Eu tive que aprender a ser empreendedora no skate desde menina, pois o pratico há 20 anos, e em 1999, era quase exclusividade uma mulher em cima de um skate”, relembra Jonz, que já no início, passou a ter ideias criativas, como costurar um modelo de calcinha que a deixasse mais confortável nas pistas. A peça, uma espécie de shortinho, deu tão certo que ela não conseguiu atender o tanto de demandas que passou a receber das outras mulheres que praticavam a modalidade no fim dos anos 1990.

Atualmente, são as marcas que correm atrás dela, e dão abertura para a criação conjunta de linhas para mulheres que curtem skate, e não querem vestir roupas folgadas e masculinizadas.

 Nana Lima, cofundadora da consultoria Think Eva, que visa construir com marcas uma nova visão sobre a mulher. Foto: Rafael Arbex /Estadão 

 Nana Lima, cofundadora da consultoria Think Eva, que visa construir com marcas uma nova visão sobre a mulher. Foto: Rafael Arbex /Estadão 

A consulta que ajuda a mudar a comunicação das marcas. A publicitária Nana viu sua veia empreendedora se desenvolver enquanto fazia um MBA na ESADE Business School, em Barcelona. Em 2013, ela esteve a frente da criação da ONG Think Olga, que tem como objetivo empoderar as mulheres por meio da comunicação. Dois anos depois, o projeto se ampliou e nasceu a Think Eva, cuja missão é prestar consultoria a marcas para se comunicarem com o público feminino.

“Nós identificamos algumas lacunas no mercado e com um trabalho de estratégia e de posicionamento, conseguimos ampliar a conversa em torno da mulher. Se você olhasse um catálogo da Avon dez anos atrás, parecia que estávamos na Rússia, pois não havia uma só negra na imagem. Por meio da Think Eva, a marca escolheu, este ano, uma mulher negra para ser o rosto principal da campanha. Essas são nossas vitórias”, enfatiza Nana, que acredita ter uma missão a longo prazo nesta luta de percepção e posicionamento feminino na publicidade e na comunicação.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui