ESTADÃO PME » » notícias

Futuro do Empreendedorismo| 28 de março de 2018 | 14h 51

Juliana Glasser, da Carambola, defende inclusão para suprir mercado de tecnologia

Empreendedora trabalha com inclusão de minorias no desenvolvimento de softwares personalizados

O Estado de S. Paulo

Juliana Glasser, da Carambola, se propôs um desafio quando decidiu fundar sua empresa desenvolvedora de softwares personalizados para empresas: equilibrar um mercado dominado por "homens héteros, brancos e de classe média alta" abrindo espaço para as minorias. Ela conta essa história neste bate-papo, parte da série especial do Estadão PME sobre o futuro do empreendedorismo.

:: Estadão PME discute o futuro do empreendedorismo ::

"A gente não consegue suprir as vagas. Se eu começar a olhar não só para o topo de pirâmide a gente consegue gerar mais emprego", explicou Juliana. Na conversa, ela destacou também a importância de fazer um trabalho relevante para as empresas e mostrar que a inclusão pode ser um caminho viável para um projeto bem-feito.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui