ESTADÃO PME » » notícias

Mercado| 18 de outubro de 2018 | 5h 00

Feira reúne pequenas marcas de cosméticos naturais na capital

Com apelo vegano e orgânico, a Slow Market.Beauty ocorrerá nos dias 20 e 21 e conta com 50 expositores

Letícia Ginak - O Estado de S.Paulo

Julia Barroso criou a Face It, marca de batons cruelty-free, em 2017. Foto: Gabriela Biló/Estadão 

Julia Barroso criou a Face It, marca de batons cruelty-free, em 2017. Foto: Gabriela Biló/Estadão 

Para fomentar o mercado e fortalecer os pequenos negócios do segmento de beleza, em específico de cosméticos naturais e com certificações orgânicas, veganas e cruelty-free (denominação usada para indicar que o produto não é testado em animais), a empresária Melissa Volk criou a Slow Market.Beauty, feira que ocorrerá no sábado e no domingo, 20 e 21, na zona oeste de São Paulo e reúne 50 pequenas marcas de todo o Brasil.

“No final de 2016, eu lancei o Slow Market, um evento que apresentava marcas conscientes de diferentes setores e com foco em sustentabilidade. Depois de observar ainda mais o mercado, percebi que deveria fazer o evento de forma setorizada, porque a pessoa precisa de muita informação, para passar a consumir de fato esse tipo de produto. Ainda há muitas dúvidas e o tabu do preço”, conta. 

Ela diz que neste ano detect0u que esse tipo de consumo se fortaleceu, com o aumento da busca por melhor qualidade de vida e bem-estar.

O setor de cosméticos naturais e veganos movimenta no Brasil cerca de R$ 3 bilhões, com potencial de crescimento de 20% ao ano, de acordo com a organização do evento, que cita dados do Sebrae. A onda de consumo desse tipo de produto, que abrange de sabonetes, óleos e hidratantes corporais a creme dental e batom, pode ser explicada pelo fato de não se restringir apenas a veganos ou adeptos de um estilo de vida natural.

“É mais uma questão de apresentar ao público um produto responsável, com impacto positivo na comunidade e no meio ambiente. Isso gera valor para as marcas e alcança o consumidor, que a cada dia está mais consciente”, diz a coordenadora do Business Hub da FAAP, Alessandra Andrade.

A sócia-fundadora da Face It, marca cruelty-free de batons, Julia Barroso, ressalta que não é preciso ser vegano para usar cosméticos produzidos sem testes em animais. “Não é uma mudança drástica de estilo de vida, como parar de comer carne. Não é necessário sair da zona de conforto, só substituir um produto pelo outro”, diz.

Há um ano e meio no mercado, a empresa já produziu 36 mil unidades e tem linha com 14 opções de cores. Do início do ano até agosto, a marca faturou R$ 954 mil. A Face It possui uma loja online que entrega para todo o Brasil e os preços são compatíveis com marcas tracionais do segmento.

Com a mesma estratégia – alcançar consumidores que já têm afinidade com a cosmética natural e leigos –, a Terral Natural apostou nos sabonetes. “Enxerguei a tendência de que as pessoas estão neste processo de mudança. Quem experimenta um cosmético natural, dificilmente volta para o industrializado, mesmo tendo preços diferentes”, acredita o sócio da marca, Heitor Bonadio. A empresa não abre dados de produção e faturamento.

O evento ocorrerá na CaZa+, na R. Coronel Melo de Oliveira, 1121, Pompéia, das 10h às 20h.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui