ESTADÃO PME » » notícias

Minha História| 10 de janeiro de 2012 | 7h 30

Empresário inova e cria simulador da construção

Empreendedor paulista desenvolve ferramenta que ajuda o consumidor a calcular o custo total envolvido em uma obra

Ligia Aguilhar, Estadão PME

Werther Santana/AE
Werther Santana/AE
Marcelo Brigido pretende recuperar o investimento de R$ 400 mil em até dois anos

Ao desenvolver uma campanha de incentivo à construção de casas para uma empresa de loteamentos de lazer, o arquiteto Marcelo Brigido percebeu que a falta de conhecimento e informação são os principais problemas de quem administra uma obra por conta própria. Por isso, ele abriu a empresa de arquitetura KMA2 e desenvolveu um simulador que calcula os custos e a quantidade de material para realizar uma obra.

Para atender a esse nicho de mercado, o empresário transformou a inovação em um serviço dentro de um site com conteúdo especializado e gratuito sobre o assunto, o Minha Casa Via Web. O projeto recebeu aporte da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), foi incubado no Cietec e rendeu até um embrião – o Arquitecasa, portal que reúne dados sobre reforma e decoração.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

Dados da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) apontam que o segmento de construção autogerida movimenta R$ 48 bilhões por ano no Brasil. Além disso, levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) mostra que apesar do ‘boom’ na comercialização de imóveis financiados, 54% das vendas de material para construção ainda são feitas para o consumidor final, enquanto 35% vão para as construtoras.

“Depois do BNH, o Brasil não teve uma política habitacional bem definida até o Minha Casa, Minha Vida. E o sonho da casa própria não deixou de existir, o que fortaleceu a cultura do faça você mesmo”, afirma o empresário Marcelo Brigido.

O portal Minha Casa Via Web foi lançado em 2009 e logo chamou a atenção da classe C ao associar conteúdo gratuito com serviços de baixo custo – fazer um orçamento no simulador custa menos de R$ 30. “Foi um movimento natural e não planejado porque o site não foi criado com um público definido”, conta.

Em 2010, quando a KMA2 recebeu aporte de R$ 120 mil do Finep para investir em consultorias de gestão, Brigido constatou que também poderia chamar a atenção das classes A e B.

Para isso acontecer, ele precisaria ampliar o portfólio de serviços e fazer melhorias tecnológicas. Para não afetar os resultados do Minha Casa Via Web, que registra uma média de 36 mil usuários por mês, optou por criar um novo endereço na web.

Assim nasceu o Arquitecasa, lançado no ano passado, que também oferece dados sobre reforma e decoração. A receita do site, que soma 20 mil acessos por mês, surge da venda das consultas ao simulador e agora por uma nova ferramenta, lançada ontem. Trata-se de uma espécie de rede social na qual o arquiteto pode criar um perfil e ser avaliados pelo seu desempenho.

Nos próximos meses o empresário ainda lançará uma calculadora ambiental e um sistema no qual a pessoa compra o material necessário para a obra após o usar o simulador. A meta é recuperar em dois anos o investimento de R$ 400 mil. Por isso, Brigido já organiza a estrutura da empresa para atrair investidores.

Mercado

A consultora de planejamento estratégico que ajudou a KMA2, Maria Rita Barbi, diz que há demanda no mercado por negócios que ofereçam informação qualificada associada a serviços. “A internet deu liberdade para o usuário buscar informação, mas nem todo lugar traz conteúdo de qualidade. Oferecer esse filtro, associado a serviços, é um modelo de negócio com força” afirma.

::: LEIA TAMBÉM :::
:: Empresa consegue criar marca forte em apenas um ano de vida ::
:: Sete dicas para vender para o governo ::
:: Casal francês investe em colchão japonês ::
:: Padarias mudam para crescer ::

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui