ESTADÃO PME » » notícias

Oportunidades| 30 de abril de 2012 | 15h 20

Empreendedores faturam R$ 5 milhões com site de leilões virtuais

Portal Mukirana já conquistou 400 mil usuários com ofertas que permitem, por exemplo, comprar um iPad 3 por R$ 16

Cris Olivette - Oportunidades

Divulgação
Divulgação
Sócios passaram noites em claro na época de implantação do serviço e hoje faturam R$ 5 mi

O portal de leilões virtuais Mukirana foi criado em Teresina (PI), por sete amigos que atuavam em áreas como engenharia, medicina e direito. “Apenas um de nós é formado em ciência da computação”, conta o advogado Carlos Barros. A ideia do portal foi trazida da Alemanha por um dos sócios, que conheceu o modelo de negócio enquanto fazia MBA naquele país.

Barros conta que o ineditismo da iniciativa os incentivou: “Enquanto esse tipo de negócio fazia muito sucesso na Alemanha, no Brasil existiam poucos players, que atuavam de forma tímida”. Hoje, o site tem abrangência nacional. “E temos mais de 400 mil usuários cadastrados, sendo que a maior parte está concentrada na região sudeste.”

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google+ ::

Lançado em novembro de 2009, o portal era tocado nas horas vagas pelo grupo. No entanto, em menos de um ano, com o crescimento do negócio, cinco sócios passaram a atuar em tempo integral na empresa. O site oferece pacotes variados. Um pacote de 25 lances, por exemplo, custa R$ 25. Já para mil lances o custo fica em R$ 750. “Nossa receita vem da venda desses pacotes, por isso é possível, por exemplo, vender um iPad 3 por R$ 16”, afirma.

Para continuar crescendo, os sócios reinvestem o lucro no próprio negócio. “Nossa política financeira é de reinvestimento no portal, sobretudo em marketing e produtos”, afirma Barros. Dessa forma, o site faturou R$ 5 milhões em 2011. “Nossa expectativa é a de manter o crescimento na faixa de 25% a 30% ao ano, valor similar a taxa prevista para o e-commerce.”

Na visão do jovem empresário, é preciso ter bastante força de vontade para empreender. “Acreditar no que se faz é importante. Nós tivemos muitas dificuldades e passamos várias noites em claro.” Ele também considera essencial ter boa organização, planejamento, bons funcionários e parceiros.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui