ESTADÃO PME » » notícias

Serviço| 20 de fevereiro de 2012 | 12h 09

Calculadoras ajudam você a simular o valor do financiamento da sede da sua empresa

Novas ferramentas do Estadão PME calculam quanto o empresário pagará por um imóvel comprado sob os sistemas Price ou SAC

Estadão PME

Comprar um imóvel que será a sede da sua empresa é um passo extremamente importante, principalmente se a compra não for à vista.  Além de encontrar o espaço ideal, o empresário precisa organizar e planejar o caixa para saldar a dívida sem prejudicar o seu negócio. Por isso, decidir que tipo de financiamento será feito é tão importante quanto a escolha do lugar. Para ajudar nesse processo, o Estadão PME lança duas calculadoras para auxiliar o empreendedor a escolher o financiamento mais adequado ao seu bolso.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

Tabela SAC
Considerado um dos mais populares para um financiamento imobiliário, o Sistema de Amortização Constante (SAC) diminui gradativamente o valor das parcelas.  Porém, o empresário deve estar ciente de que terá de pagar uma quantia mais alta no início. "Pela tabela SAC o financiamento pode ficar até 10% mais barato se comparado com outras tabelas. Porém, os bancos exigem uma renda maior do comprador e isso muitas vezes impede a compra", explica o vice-presidente da Anefac, Miguel de Oliveira.

Para usar a calculadora e saber o valor exato de quanto você pagará mensalmente pelo imóvel, basta preencher os campos com: o valor financiado, o número de meses que o parcelamento vai durar e a taxa de juros contratada (mensal ou anual).

Tabela Price

No sistema de amortização Price, as parcelas são fixas ao longo do financiamento. Nos primeiros meses, o valor abatido do saldo devedor é pequeno e a maior parte vai para o pagamento dos juros, já que as parcelas são pré-fixadas. Segundo Oliveira, o sistema Price permite parcelas mais baixas, o que facilita o financiamento para o comprador que tem uma renda mais baixa. No entanto, o vice-presidente da Anefac alerta que esse tipo de financiamento, com parcelas menores, tende a ser mais longo e consequentemente mais caro, pois os juros vão incidir sobre o saldo devedor, que foi pouco reduzido.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui