ESTADÃO PME » » notícias

Especial| 16 de outubro de 2015 | 7h 07

Ainda dá tempo de criar um site de vendas

É preciso ter cuidado para não ‘atropelar’ o processo de criação e causar uma experiência negativa para o cliente

Roberta Cardoso, especial para o Estado

A medida que o mês de dezembro se aproxima a atenção de donos de pequenos e médios negócios volta-se para o Natal. Em comum, esses empresários têm a necessidade de aumentar os canais de venda de seus produtos e serviços na internet e pouco tempo e verba para organizar o projeto.

Profissional da área, Gabellini recomenda cautela
Profissional da área, Gabellini recomenda cautela
Tiago Queiroz/Estadão

::: Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

“Colocar uma loja virtual no ar é rápido. Até em dois dias você consegue. Mas o ideal é fazer isso com antecedência por vários motivos. O principal é que o pico de vendas online acontece no início de dezembro”, explica Luan Gabellini, executivo da Betalabs, empresa especializada no desenvolvimento de comércios eletrônicos e sistemas de gestão empresarial. Nesta época do ano, o volume de trabalho na Betalabs chega a aumentar 35%. A empresa atende uma gama vasta de pequenos, médios e grandes players.

“A gente faz um trabalho de consultoria. Entende o que o cliente quer. Às vezes, ele já tem uma loja virtual, mas quer aumentar as vendas. Sugerimos soluções simples e de fácil implementação, como diferenciar a precificação automaticamente, fazendo com que o produto dele tenha um desconto diante da concorrência”, explica.

:: Veja também ::
Natal da crise vai exigir jogo de cintura
Mercado de doces deve ganhar espaço
Expansão em tempos difíceis
Como converter em lucro uma 'olhadinha'

Foco. Cada vez mais familiarizados com as compras pela internet, os consumidores agora usam a rede para pesquisar muito antes de comprar. Por isso, a tendência é que negócios de nicho tenham um desempenho melhor que grandes varejistas. E é aí que as pequenas e médias empresas têm oportunidades para aumentar o faturamento. “Lojas especializadas conseguem ganhar mais dinheiro do que um grande varejista, por exemplo. Se você só vende jogos de tabuleiro, as chances de fidelizar a clientela que gosta deste tipo de produto é maior.”

No entanto, para se ter um bom desempenho ainda neste Natal, é preciso correr contra o tempo. A tese é endossada por Leandro Marques, executivo da Tray, empresa também especializada em soluções de e-commerce.

De acordo com ele, um dos principais entraves não é necessariamente colocar no ar uma plataforma onde as pessoas possam vender os produtos, mas quais itens ou serviços serão oferecidos aos clientes.

“Quando o negócio já está na internet até dá para fazer um remendo no site. Mas começar em cima da hora significa que isso vai limitar o número de produtos à venda”, explica.

De acordo com o empresário, é justamente isso – a pouca variedade de produtos anunciados – um dos atributos que causam frustração no consumidor. “A maioria dos nossos clientes que ainda não têm canal de venda online quer colocar mais de um produto à venda, ou então, quer atrelar algum serviço, como as sugestões de compras baseadas na busca do produto que foi pesquisado”, explica.

Atenção. Existe uma grande diferença entre incrementar a sua plataforma online para vender mais no Natal e abrir um e-commerce nesta época do ano. “Para quem está começando e vai atuar em um nicho, a gente recomenda um tempo maior para entender melhor o funcionamento deste tipo de comércio”, recomenda Marques.

Mas engana-se o empreendedor que acredita que o trabalho acaba com o site no ar. A manutenção e implementação de novas ferramentas tem de ser constante. Além disso, em artigo publicado em julho de 2015, o portal da Endeavor – entidade de fomento ao empreendedorismo ao redor do mundo – chamou a atenção para a necessidade do site de vendas ser também responsivo, ou seja, capaz de facilitar a navegação do usuário em qualquer tipo de dispositivo: computadores, tablets ou celulares.

Dados mencionados pela organização indicam que 66% do tempo que os usuários passam em sites de comércio eletrônico, atualmente, ocorre por meio dos smartphones. Outro dado para o pequeno empresário pensar bastante indica que 61% dos usuários que acessam a web por meio de celulares saem rapidamente de sites onde a navegação não é boa. Fica a dica para você chegar lá.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui