Fernando Sciarra/Estadão
Fernando Sciarra/Estadão

Você está pronto para combater o estresse? Esse é um tipo de negócio recomendado para 2015

Três especialistas apontam setores fortes para o empreendedor

Gisele Tamamar, Estadão PME,

24 de fevereiro de 2015 | 06h50

 Depois de apontar os negócios perigosos para investir em 2015, os três especialistas entrevistados pelo Estadão PME também indicaram quais são os negócios promissores para quem está disposto a empreender este ano. As indicações passam desde a já falada alimentação saudável, que continua como forte tendência, até produtos que estão relacionado ao bem-estar dos animais. Confira as indicações de cada especialista:

-> César Souza, consultor e presidente do Grupo Empreenda

Mercearias de bairro que atendam consumidores que queiram fazer pequenas compras duas ou três vezes por semana e ofereçam mobilidade: os hábitos dos consumidores estão se adequando ao momento econômico e poucos ainda fazem compras do mês ou da quinzena. Cada dia é mais comum as pessoas pararem no caminho de volta para casa e fazerem pequenas compras com o dinheiro disponível naquele momento.

Alimentação rápida e barata com toque de produtos saudáveis: a preocupação com a saúde está cada vez mais em alta em todas as classes sociais e todos precisam se alimentar bem. Porém, as pessoas têm percebido cada vez mais que para ter qualidade e ser natural, os alimentos não precisam ser caros. Empresas que também ofereçam estes alimentos para consumo domiciliar ganham vantagem.

Vestuário casual, prático, multiúso e barato: em momentos de crise, as pessoas não deixam de comprar roupas e acessórios, mas passam a ser mais seletivas com o que compram. Com a "grana curta", a tendência é que os consumidores adquiram peças que ofereçam versatilidade, que possam ser usadas em várias situações e com mais frequência.

Educação com cursos de curta duração (cursos profissionalizantes): os profissionais precisam cada vez mais se diferenciar no mercado e cursos que possam incrementar o currículo são sempre bem-vindos. Mas não é qualquer curso, tem que ser aquele capaz de garantir a empregabilidade em alta, seja para um novo emprego ou para possibilitar uma promoção.

Aplicativos que ajudem a economizar tempo do usuário: a palavra do momento é mobilidade. Soluções que facilitem o dia a dia das pessoas e a possibilidade de economizar estão no radar dos consumidores cada vez mais adeptos aos smartphones para resolver demandas do cotidiano.

Produtos que ajudem consumidor ou empresas a economizar energia, água, telefonia, transporte: a otimização de recursos "essenciais" sempre é atrativa tantos para pessoas como empresas. Todos querem diminuir seus custos e, claro, contribuir com o meio ambiente. Mas neste segmento ser inovador é essencial.

Terceirização de serviços que permita empresas grandes se manterem focadas no core business: as organizações estão cada vez mais investindo na gestão de seus negócios e menos nas chamadas "áreas de suporte". Se, por exemplo, a empresa não é voltada para logística, ela não investirá nesse setor e sim confiará este serviço a um especialista.

Negócios que ajudem combater o estresse e cuidar da saúde: assim como na alimentação, empresas dedicadas a melhorar a qualidade de vida das pessoas ganham destaque. Neste segmento, já um pouco saturado, o que chama a atenção do consumidor são serviços diferenciados e que realmente apresentem resultado.

Manutenção de eletrodomésticos e equipamentos eletrônicos: comprar novos produtos é o sonho de todos os consumidores quando algo deixa de funcionar. Porém, em tempos de 'grana curta' é melhor recorrer ao serviço de assistência técnica, desde que o conserto saia mais barato que o novo.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

-> Diego Simioni, cofundador da consultoria GoAkira

Negócios que valorizam o bem-estar: na área de atividades físicas estão incluídas não só as academias tradicionais, mas também outros segmentos, como o treinamento funcional e pilates. São modalidades que oferecem um tratamento mais personalizado. A questão da alimentação saudável também continua forte.

Negócios que aliam conveniência e facilidade/comodidade para o consumidor: negócios com apelo de curadoria têm potencial. Por exemplo, um negócio que foca na seleção de vinhos de acordo com os gostos do cliente.

Bem-estar pet: muito se falou no boom do mercado pet e dentro desse setor destaca-se o de bem-estar para os animais, como farmácia de manipulação e hotéis.

-> Sergio Molinari, especialista em Foodservice e fundador da Food Consulting

Alimentação fit: não é apenas a alimentação saudável, mas envolve um estilo de vida saudável. Segundo o especialista, essa é uma das tendências mais seguras de crescimento nos próximos anos.

Delivery e take out - tendência não inclui apenas a alimentação entregue em casa ou no trabalho, mas locais onde o consumidor passa e "pega" a comida. Isso porque as pessoas estão em constante deslocamento e têm um tempo mais restrito. Locais que ela pode passar e comprar a refeição pronta oferecem uma facilidade.

Tudo o que sabemos sobre:
estadão pmenegóciospromissores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.