Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Verão faz as vendas subirem até 30%

Período é ideal para conquistar novos clientes e tentar mantê-los depois que o clima esfriar

Carolina Dall'Olio, do Estadão PME,

28 de outubro de 2011 | 18h30

Para as pequenas e médias empresas, o verão é uma época de muito trabalho. Negócios diretamente beneficiados pelo clima quente ­(dos setores de turismo, gastronomia, entretenimento, saúde e beleza) chegam a aumentar as vendas em 30% em comparação aos resultados das outras estações. Para empresas situadas em cidades litorâneas, o impacto pode ser ainda maior. Por tudo isso, o período é ideal para conquistar novos clientes e tentar mantê-los depois que o clima esfriar.

De forma geral, todo mundo vende mais nesta época do ano. O aumento do consumo se explica, em grande parte, pelo pagamento do 13º salário. Neste ano, cerca de R$ 122,6 bilhões devem ser injetados na economia a partir de novembro. O cálculo é de Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating.

 

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

A soma supera em 20,16% o valor divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em 2010, que foi de R$ 102 bilhões. Segundo Agostini, a alta se deve a um crescimento de 10,45% na renda média (nominal) e de 5,47% no total de empregados formais (com carteira assinada), e já inclui também pensões e aposentadorias.

Logo no início de 2012, o trabalhador brasileiro terá ainda outro estímulo para consumir: o reajuste do salário mínimo. O aumento já foi acordado em lei. Mas o número final ainda depende do que vier a ser a inflação deste ano – as estimativas dão conta de uma alta próxima de 14% no salário mínimo, hoje fixado em R$ 545.

Bom astral

A expansão do consumo no verão, entretanto, não se justifica exclusivamente por questões financeiras. “Existe também o fator psicológico. A pessoa deu duro o ano inteiro e pensa que a hora de aproveitar é o verão”, destaca Fernando Costa Netto, sócio dos bares paulistanos Posto 6, Salve Jorge, Cervejaria Patriarca e Armazém Piola.

O empresário informa que as receitas crescem entre 20% e 30% no período. “O calor naturalmente leva as pessoas a buscarem espaços onde possam ficar mais a vontade. E o bar talvez seja o local preferido, já que em São Paulo não temos praia”, afirma.

Restaurantes especializados em culinária leve e saudável são outro tipo de negócio que têm o verão como principal aliado. “Além dos clientes habituais, que vêm mais ao restaurante nesta época do ano, recebemos também novos clientes, que aproveitam a oportunidade para ficar em dia com a balança”, declara Jonas Máximo, fundador das temakerias Max Sushi. A rede, que hoje conta com sete franquias, aumenta as vendas em 16% no verão.

Lançamentos

As temakerias Koni Store e a Yoi! Rolls & Temaki vendem cerca de 30% mais nesta época do ano. E aproveitam o período para lançar novidades no cardápio.  “Em todas as épocas criamos novos pratos, sabores e festivais de acordo com a característica das estações. Mas especialmente no verão estas inovações são mais constantes, pois é um período em que mais investimos em pesquisas e tendências”, afirma Tina Palmari, gerente de marketing da Yoi! Rolls & Temaki.

Especialistas afirmam que o verão é uma boa época para lançamentos. Trata-se de um período em que o consumidor está com mais dinheiro no bolso, mais propenso a experimentar novidades e com menos pressa para realizar suas compras. “Especialmente os turistas, estrangeiros e nacionais, estão mais dispostos a gastar mais nessa época do ano”, constata Mariano Ferreira, sócio da rede de franquias Botequim Informal, sediada no Rio de Janeiro.

Para repetir os bons resultados de outros verões, quando o Botequim Informal aumentou as vendas em 30%, Ferreira já tem programado ao menos dois lançamentos: a jarra de caipirinha e um festival de comidas de botecos servidas na chapa.

Atendimento

“Mas para não desperdiçar as boas oportunidades que o verão traz às empresas, a empresa deve se preparar para oferecer um ótimo atendimento”, afirma Marcelo Sinelli, consultor do Sebrae-SP. “Não basta que o atendimento seja bom: ele tem que ser excelente. O cliente precisa ter uma experiência de consumo sensacional. Só assim ele vai lembrar da sua empresa, voltar a comprar lá e até indicar para outras pessoas.”

Para Claudio Felisoni, coordenador geral do Programa de Administração do Varejo (Provar), é importante também coletar informações dos novos clientes, para monitorar ações futuras. “É preciso entender quem é esse cliente, do que ele gosta e o que ele procura”, afirma. “A partir daí, ele pode estruturar um planejamento.”

Planejamento, aliás, é palavra de ordem para se dar bem nesta temporada. “As empresas, por seu histórico, sabem que a demanda aumenta no verão. Por isso, não há razão para improviso”, declara Felisoni. “As empresas devem estar preparadas desde já.”

:::LEIA TAMBÉM:::

::Brasil entra na rota dos grandes shows e cria oportunidades de negócios::

::Sete estratégias para sua empresa crescer sem perder a qualidade::

::Nova classe média descobre a compra virtual::

::Conheça as estratégias para o negócio da moda dar certo::

::Mercado de festas infantis diversifica oferta de serviços::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.