Vendas do varejo sobem 0,2% em junho, diz IBGE

a comparação com junho do ano passado, as vendas do varejo tiveram alta de 7,1%

Daniela Amorim, Agência Estado,

11 de agosto de 2011 | 11h39

 As vendas do comércio varejista subiram 0,2% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que esperavam um desempenho desde uma queda de 0,70% a uma expansão de 0,50%, com mediana de variação zero.

Na comparação com junho do ano passado, as vendas do varejo tiveram alta de 7,1% em junho deste ano. Nesse confronto, as projeções variavam de uma alta de 5,80% a 7,50%, com mediana de 6,40%. Até junho, as vendas do setor acumulam altas de 7,3% no ano e de 8,9% nos últimos 12 meses.

A receita nominal do comércio varejista cresceu 0,6% em junho, na comparação com maio, na série com ajuste sazonal. Em relação a junho de 2010, a alta na receita foi de 12,1%. No ano, a receita nominal do comércio acumula expansão de 12,2% e, em 12 meses, de 13,3%. A média móvel trimestral ficou em 0,7%.

Varejo ampliado

O comércio varejista ampliado - que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção - registrou crescimento de 0,5% nas vendas em junho ante maio. Já a receita nominal subiu 1,2% no mesmo período, na série com o ajustamento sazonal.

Na comparação com junho do ano passado (sem ajuste sazonal), as variações foram positivas em 9,5% para o volume de vendas e em 12,0% para a receita nominal.

No acumulado do ano e dos últimos 12 meses, o setor apresentou altas de 9,2% e 11,0% para o volume, e de 12,0% e 13,8% para a receita nominal de vendas, respectivamente.

Revisão

O IBGE revisou a taxa de variação das vendas do comércio varejista em maio, na comparação com o mês anterior. O volume de vendas foi recalculado de +0,6% para +0,7%. Também houve revisão nas vendas de fevereiro ante janeiro, que passou de uma variação de +0,2% para +0,1%; na taxa de janeiro ante dezembro, que saiu de +1,4% para +1,3%: e na taxa de dezembro ante novembro, que saiu de +0,2% para +0,1%.

Tudo o que sabemos sobre:
VarejoVendasConsumidor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.