Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Vendas do varejo devem crescer em março

Índice Antecedente de Vendas é divulgado uma vez por mês e mostra melhora do setor em relação a 2011

Agência Estado,

16 de março de 2012 | 16h07

 As vendas do varejo devem crescer 6,5% em março na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o Índice Antecedente de Vendas do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), indicador divulgado mensalmente de acordo com dados apurados junto aos associados do Instituto.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

Segundo nota divulgada pelo Instituto, um dos fatores que influenciaram o crescimento foi a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os eletrodomésticos de linha branca, implantada pelo governo em dezembro do ano passado. O indicador acusou altas de 6,5% e 7,4% nas vendas de janeiro e fevereiro, respectivamente.

O estudo também mostra que as vendas de abril e maio devem apresentar uma redução na taxa de crescimento em relação aos meses anteriores, o que preocupa o IDV uma vez que, em geral são períodos considerados bons para o varejo. O Indicador Antecedente aponta que o crescimento estimado para as vendas em abril será de 6,2% e em maio, de 5,6%.

Um dos setores mais otimistas é o de bens duráveis, em particular o de equipamentos de informática, com projeção de crescimento de 9,5% em março sobre igual período do ano passado. As projeções de crescimento deste segmento para abril e maio são de 9% e 9,3%, respectivamente.

Bens não-duráveis

De acordo com o IAV-IDV, o crescimento dos bens não-duráveis, como alimentos, remédios, produtos de perfumaria, por exemplo, entre outros, deverá apresentar uma desaceleração no início deste ano, passando de 8,7% em fevereiro para 4,7% em março, como reflexo de uma ligeira queda da taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e o descolamento do período do carnaval deste ano em relação a 2011. Para os próximos dois meses, a expectativa é de que a taxa de crescimento se reduza ainda mais, de 3,1% e 2,6%, respectivamente, em relação aos mesmos períodos de 2011.

O IAV-IDV ainda apontou que o setor de bens semiduráveis começou o ano bem melhor do que 2011. A expectativa de crescimento para março é de 7,3% em relação ao mesmo mês do ano passado. Para abril e maio, as projeções de crescimento nas vendas são de 10,2% e 8,2%, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.