Epitacio Pessoa/AE
Epitacio Pessoa/AE

Varejo prevê desaceleração nas vendas do Natal e Dia das Crianças

Entidade do setor atribui crescimento menor das vendas à inflação e ao dólar valorizado

Andrea Jubé Vianna, Agência Estado,

06 de outubro de 2011 | 15h32

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) prevê um crescimento menor nas vendas do Natal e no Dia das Crianças neste ano em relação a 2010. A entidade atribui essa desaceleração no ritmo das compras à escalada da inflação e ao impacto do câmbio. Segundo o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Júnior, o maior fator é o "desarranjo orçamentário", já que a inflação corrói a renda do consumidor brasileiro. Ele prevê o impacto do câmbio, principalmente, nas vendas de eletroeletrônicos, que têm muitos componentes importados e estoque limitado nas revendedoras.

A estimativa da CNDL é de que as vendas no Natal apresentem crescimento de 6% a 7%, menor que no ano passado, quando a previsão de alta era de 12% e o crescimento efetivo foi de 10,89%. Os varejistas também estimam redução no valor do tíquete médio das compras, que no ano passado apresentou alta de 15%. Quanto ao Dia das Crianças, os varejistas calculam crescimento de 6% a 7%, menor em relação a 2010, que foi de 8%. Também contam com a redução do tíquete médio, que no ano passado foi de R$ 50, enquanto a previsão para este ano é de R$ 40.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Pellizzaro lembrou que a queda nas vendas de agosto para setembro - que neste ano foi de 7,91%, segundo o SPC Brasil - é histórica, porque este mês tem menos dias úteis e o consumidor ainda está se recompondo das compras do Dia dos Namorados, Dia dos Pais e liquidações de inverno. Na comparação com setembro do ano passado, no entanto, as vendas ainda registram crescimento de 3,46%.

Vendas

As vendas a prazo caíram 7,91% em setembro em relação a agosto, segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na comparação com setembro do ano passado, no entanto, as vendas ainda registram crescimento de 3,46%, a sexta alta consecutiva na mesma base de comparação.

Segundo a CNDL, o mês de setembro, tradicionalmente, tem um baixo volume de vendas porque os consumidores comprometem a renda em meses anteriores devido a datas comemorativas, como Dia dos Namorados, Dia dos Pais e liquidações de inverno.

No acumulado do ano, o indicador SPC Brasil mostra ainda uma expansão das vendas de 5,5% na comparação com janeiro/setembro de 2010. "A combinação de um cenário externo negativo e uma desaceleração do ritmo de crescimento da economia ainda não impactaram de forma negativa o desempenho do comércio que apresenta resultados positivos", destaca a CNDL.

Inadimplência

A CNDL divulgou também o número de registros junto ao SPC Brasil, ou seja, a taxa de inadimplência, que em setembro apresentou queda de 3,62% em relação a agosto deste ano. No entanto, na comparação com igual mês de 2010, o índice de inadimplência registra alta de 5,8% e, no acumulado do ano, alta de 5,26% ante janeiro/setembro de 2010.

Esse aumento, segundo a entidade, deve-se às medidas de aperto monetário do início do ano, que tem efeitos retroativos na economia, o aumento de juros e às restrições de prazo em linhas mais baratas, o que acabou elevando o descontrole orçamentário das famílias. "Ademais o agravamento da crise internacional, que vem pressionando a alta do dólar (Set.11 R$1,85/Set.10 R$1,65), aliado ao aumento da inflação (IPCA Ago.11 0,37%/Ago.10 0,04%) devem persistir reduzindo o poder de compra da população, contribuindo com a inadimplência", destaca a CNDL.

Tudo o que sabemos sobre:
VarejoComércioVendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.