Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Varejo de flores online aposta até em venda de panetone e cestas para faturar mais no Natal

Flores Online e Giuliana Flores esperam vender até 35% a mais neste ano em comparação a dezembro de 2011

GISELE TAMAMAR, ESTADÃO PME,

11 de dezembro de 2012 | 06h29

As empresas de venda online de flores estão otimistas para o Natal. Os dois principais comércios eletrônicos do setor esperam aumentar as vendas entre 20% e 35% neste mês em comparação com dezembro do ano passado.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Em todo o varejo online brasileiro, a expectativa é crescer 25% e faturar R$ 3,25 bilhões com as vendas no período, segundo dados coletados pela e-bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico.

Para crescer 20%, a Flores Online, por exemplo, investiu pela primeira vez na venda de produtos avulsos. O cliente não precisa comprar a flor ou montar uma cesta, pode apenas adquirir o panetone da loja Maria Brigadeiro ou a cerveja da marca Wayan.

“Queremos ser uma referência de produtos bacanas para aproximar as pessoas umas das outras e entregar emoção. Percebemos que ficar só nos arranjos de flores era muito pouco”, diz o diretor de marketing da Flores Online, Eduardo Casarini.

Este será o primeiro Natal após a venda de parte da empresa para a 1-800-Flowers.com – pioneira em e-commerce nos Estados Unidos – e para o fundo de private equity BR Opportunities. A negociação foi concretizada em junho.

"É uma parceria estratégica e importante para entrarmos em uma nova fase agressiva de crescimento”, diz Casarini. O empresário fundou o negócio com seu irmão Marcelo e registra faturamento de R$ 20 milhões por ano.

Para alavancar as vendas no fim de ano, a empresa de flores desenvolveu ainda uma campanha publicitária batizada de “Resolva seu Natal na Flores Online”. A exibição dos filmes será feita, a partir desta semana, em cinemas, na televisão e também em mídias digitais.

A empresa vai explorar, justamente, a situação dos consumidores que estão sem tempo para comprar as lembranças do Natal. “As pessoas têm uma rotina muito intensa e não têm tempo para comprar. E no Natal isso piora. As mães se juntam para comprar o presente da professora da escola dos filhos. Uma vai comprar e as outras não querem ter trabalho”, explica Casarini. A Flores Online também estendeu o parcelamento em até três vezes para todas as compras acima de R$ 80.

Já a Giuliana Flores aposta em um crescimento maior: 35% em relação a dezembro do ano passado. “Fizemos uma campanha para sair do tradicional, uma campanha mais interativa”, afirma Juliano Souza, diretor de marketing do negócio.

A empresa, fundada pelo empreendedor Clóvis Souza, traçou uma ação estratégica para as redes sociais – há concurso cultural para os consumidores, ofertas diárias de produtos e cartões natalinos para compartilhar e enviar aos amigos.

Outra novidade é a Árvore de Ofertas. Todo dia um produto ganha destaque pois recebe um desconto especial. Serão 13 ofertas até o dia 16. Ontem, por exemplo, um buquê de flores era vendido com um desconto de 30%, de R$ 116,90 por R$ 81,83.

Já no dia 17, a estrela da árvore não será um produto, mas a campanha Natal Solidário, em que 10% do valor das compras feitas pelo site serão doados para o Instituto Ronald McDonald. A Giuliana Flores também oferece ao internauta uma seção especial.

Lá, o cliente consegue montar sua cesta de Natal com produtos de marcas como Kopenhagen, Havana, Lindt e Chandon, por exemplo. “O Monte sua Cesta é uma ferramenta do site e resolvemos fazer um especial de Natal pela primeira vez”, afirma o diretor de marketing.

A Giuliana Flores ainda preparou uma seção com arranjos natalinos para decoração de casas. “Muita gente deixa para comprar presentes na última hora. Esperamos um pico de vendas entre os dias 20 e 21”, pontua. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.