Sócios buscam alternativas para crescer sem franquear o negócio
Sócios buscam alternativas para crescer sem franquear o negócio

Trailer de vinho busca alternativas para crescer sem franquias

Marca Los Mendozitos se prepara para lançar rótulo próprio e trabalhar com parcerias

Gisele Tamamar, Estadão PME,

10 de abril de 2015 | 07h14

A ideia inicial do Los Mendozitos, um negócio de trailer de vinho, era iniciar uma expansão por franquias logo que a empresa completasse um ano. Mas o aniversário comemorado em março também trouxe uma série de reflexões para os sócios, que, pelo menos por enquanto, não vão adotar esse modelo para crescer.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

O negócio foi criado há um ano pelos sócios André Fischer, Danilo Janjacomo e Ariel Kogan. Desde que inauguraram o trailer, cerca de 50 pessoas já procuraram a empresa interessadas em franquias. Hoje, o Los Mendozitos tem sete unidades em operação, sendo cinco trailers e mais dois triciclos.

André conta que durante esse período os sócios conversaram com diversas empresas que realizam o processo de franquia. "Entendemos que estruturar uma marca para franquear demanda uma energia e um investimento muito grande. Um investimento errado nesse sentido poderia ser mortal", afirma André.

A decisão de não franquear se mostrou mais acertada depois que os sócios participaram do festival SxSW em Austin, Texas, em março, e assistiram uma discussão justamente sobre food trucks e modelos de expansão. Segundo André, a opinião dos três pioneiros do setor na Califórnia era que o negócio não é franqueável.

A saída encontrada foi buscar outros alternativas para crescer. "Um abriu uma rede de restaurantes, outro desenvolveu uma sobremesa para venda em supermercados e está exportando. Eles expandiram para outras áreas", conta André.

E a Los Mendozitos também busca caminhos alternativos para crescer, por meio de parceria com empresas, e o lançamento do rótulo próprio de vinhos. "Chegamos a conclusão que o modelo clássico de franquia não se aplica ao nosso negócio, pelo menos nesse momento", diz André.

A empresa também trabalha por meio de parcerias e mantém três trailers no Rio de Janeiro no esquema de parceria, onde os sócios continuam responsáveis pelos trailers e estoque, mas uma pessoa cuida da operação. "O Rio tem uma característica especial para a gente, sou de lá, conheço o pessoal e isso não pode servir muito de modelo com o objetivo de operação", explica André.

Por isso, eles devem começar um projeto-piloto no interior de São Paulo para avaliar o funcionamento do trailer em uma região onde eles têm condições de supervisionar. "Nosso objetivo é crescer mais organicamente. Queremos expandir, mas a expansão tem que ser consistente e compatível com o negocio e com o nosso tamanho. Não adianta dar um passo maior que a perna", afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.