Eduardo Valduga e Rodrigo Veronese, cervejeiro responsável pelo projeto da cervejaria
Eduardo Valduga e Rodrigo Veronese, cervejeiro responsável pelo projeto da cervejaria

Tradicional produtora de vinho do Sul lança cerveja especial

Grupo Famiglia Valduga enxergou oportunidade para criar a Cervejaria Leopoldina

Gisele Tamamar, Estadão PME,

13 de janeiro de 2016 | 06h58

Tradicional produtor de vinhos, sucos e espumantes, o Grupo Famiglia Valduga enxergou uma oportunidade em outro tipo de bebida: a cerveja artesanal. A empresa gaúcha investiu R$ 3,5 milhões para lançar a Cervejaria Leopoldina, inicialmente com cinco rótulos.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

A produção começou com 40 mil litros por mês, com expectativa de alcançar os 300 mil litros no período de três anos e representar cerca de 15% do faturamento do grupo.

Para se ter uma ideia da tradição da família no setor de vinhos, a primeira empresa foi aberta há mais de 40 anos. Mas os negócios existem desde quando o primeiro imigrante Valduga chegou ao Brasil, em 1875, e começou a cultivar parreirais na região Sul. Além da Casa Valduga, o grupo ainda é formado pela Casa Madeira, Domno e agora Cervejaria Leopoldina.

De acordo com Eduardo Valduga, diretor do grupo Famiglia Valduga e responsável pelo projeto, a entrada no mercado cervejeiro se deu porque o grupo enxergou uma oportunidade de mercado já que tem uma grande base técnica na produção de bebidas alcoólicas.

"A cerveja está começando a construir um nicho de consumidores, de apreciadores de uma cerveja mais específica. Este nicho está por desenvolver", diz Eduardo.

Para 2016, a empresa prevê novos lançamentos e deve lançar entre um a dois produtos por ano. Segundo Eduardo, a situação da economia brasileira faz com que as estratégias sejam executadas com certas dificuldades.

"Tamanho de investimento, capital de giro necessário, estoque, maquinário, tudo isso é bastante afetado. Porém, você não pode deixar uma oportunidade de mercado por causa da crise. O nicho está aí", afirma o diretor, ponderando que os investimentos não são feitos de uma só vez, mas cada um no seu tempo.  

Tudo o que sabemos sobre:
cervejavinhoestadão pme

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.