Total de cheques sem fundo cresce no mês de julho

De acordo com a Serasa, foram devolvidos 1,99% dos cheques compensados, contra 1,93% em junho

estadao.com.br,

22 de agosto de 2011 | 15h23

O porcentual de cheques devolvidos pela segunda vez por falta de fundos cresceu em julho. De acordo com a Serasa Experian, foram devolvidos no País 1,99% dos 80,8 milhões de cheques compensados em julho (ou 1,609 milhão), contra 1,93% em junho. Em julho de 2010, houve 1,74% de devoluções.

Na relação entre os acumulados também houve elevação no porcentual de cheques sem fundos. De janeiro a julho deste ano foram 1,94% de devoluções, ante os 1,86% verificados em igual período de 2010.

Os economistas da Serasa avaliam que o aumento da incidência de cheques devolvidos por falta de fundos em julho frente a junho decorre das vendas parceladas com cheque pré-datado no Dia dos Namorados. A volta dos parcelamentos no pré-datado foi estimulada pela elevação dos juros em função da política monetária de controle da inflação.

As datas comemorativas do varejo tiveram bom desempenho de vendas nos primeiros sete meses do ano, o que também explica o uso mais intensivo desse instrumento no período.

Estados e Regiões

De janeiro a julho, Roraima liderou o porcentual de cheques devolvidos (11,95%), enquanto São Paulo foi o estado de menor porcentual (1,47%).

Entre as regiões, a Norte teve o maior porcentual de devolução de cheques nos sete primeiros meses de 2011, com 4,08%. Na outra ponta do ranking está a Sudeste, com 1,58%.

O Indicador Serasa Experian de Cheques sem Fundos leva em conta a quantidade de cheques compensados, isto é, o total de cheques encaminhados para a câmara de compensação interbancária do Banco do Brasil (BB). Na compensação, o cheque pode ser pago ou devolvido. A pesquisa registra como "devolução" o cheque que voltou por duas vezes por falta de fundos. Isso, para a entidade, caracteriza a inadimplência. 

Tudo o que sabemos sobre:
InadimplênciaEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.