Divulgação
Divulgação

Teoria do escritor Augusto Cury inspira franquia de cursos

Instituto vai abrir unidade em São Paulo e quer iniciar plano de expansão mais agressivo no ano que vem

ESTADÃO PME,

14 de outubro de 2013 | 16h53

O escritor Augusto Cury escreveu mais de 30 obras e vendeu mais 20 milhões de livros onde desenvolve a teoria da inteligência multifocal, que tem como característica o estudo da mente e os elementos que a organizam para o desenvolvimento da saúde emocional. O conceito foi aplicado nos cursos do Instituto Augusto Cury, que começa sua expansão por franquias.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A unidade piloto foi aberta há um ano em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. No dia 15 de outubro, a rede inaugura outra unidade em São Paulo, no Shopping West Plaza. A expansão ganha força no ano que vem. O plano é abrir prevê entre 30 e 50 institutos no ano que vem.

Entre as questões trabalhadas nos cursos estão: como lidar com perdas, como conquistar um perfil profissional seguro, como lidar com frustações e administrar conflitos. O instituto tem 12 cursos, como liderança, relacionamento, vestibular, qualidade de vida e família. Os cursos podem ser feitos por crianças a partir de 6 anos até pessoas da terceira idade. O instituto também formata cursos para empresas.

De acordo com a diretora pedagógica e filha do autor, Camila Cury, a teoria traz contribuições para o desenvolvimento psíquico da população. "No auge da industria de entretenimento, nós pensávamos que teríamos a geração mais feliz de todos os tempos, mas infelizmente os índices de depressão e transtornos emocionais nunca estiveram tão altos", pontua Camila.

O investimento inicial para abrir uma franquia do instituto varia de R$ 250 mil a R$ 334 mil, incluindo taxa de franquia e capital de giro. A previsão de retorno é de 20 a 30 meses. Já o faturamento médio mensal estimado é de R$ 80 mil a R$ 100 mil, com lucratividade entre 20% e 25%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.