José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

"Temos uma medicina do século 21 com gestão do século 19", diz especialista

Para Ana Maria Malik, professora do FGV, área de sistemas de informação é uma das mais carentes de bons empreendedores

Renato Jakitas, Estadão PME,

27 de fevereiro de 2013 | 06h31

O sistema de saúde brasileiro avança em muitas frentes. Mas deixa a desejar em outras. É nesse ponto que Ana Maria Malik, coordenadora do Centro de Estudos em Planejamento e Gestão de Saúde da Fundação Getúlio Vargas (FGV), vislumbra oportunidades para empreendedores. “A parte de sistemas de informação requer investimentos e tem sido alvo de muitas empresas”, destaca ela.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Acompanhe a entrevista abaixo.

Estadão PME - Quanto movimenta o setor de saúde hoje no Brasil?

Ana Maria Malik - Esse é um setor que movimenta muito dinheiro. Os números são muito pouco confiáveis, muito pouco exatos, mas se pensarmos nos dados que a gente costuma trabalhar, é algo na ordem dos trilhões de reais. Antigamente, o orçamento público era mais representativo. Hoje, não, ele não representa mais que 50% desse total.

Estadão PME - Esse é um mercado interessante para o pequeno empresário?

Ana Maria Malik - Eu estive em um evento para avaliar o projeto de empreendimento no setor de saúde e fiquei abismada com a quantidade de ideias. A gente pode ver que tem uma série de coisas novas e boa parte delas voltada para área de sistemas de informação. Eu falei outro dia que nós temos uma medicina do século 21, num sistema de saúde organizado assumindo que a realidade ainda é do século 20 e uma gestão do século 19. E nessa área de gestão do século 19, uma das coisas que é mais século 19 mesmo é a parte de sistemas de informação.

Estadão PME - Até que ponto a regulação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cria barreiras para o empreendedor da área?

Ana Maria Malik -Eu sou uma pessoa otimista e quero crer que a Anvisa defenda os interesses do cidadão. A Anvisa tenta evitar que produtos mirabolantes entrem no mercado sem qualquer tipo de fundamento cientifico. Agora, com a quantidade de coisas que entram no mercado, eles dizem que estão mais preocupados com coisas que fazem mal do que com as que sejam inócuas.

Estadão PME - Os espaços deixados pelo SUS são os mais atrativos para investimentos?

Ana Maria Malik - Tem coisas que as pessoas querem ter e que o SUS não consegue ofertar. E não adianta a hipótese da judicialização, o estado tem mais o que fazer. Empreendedores podem entrar nesse nicho. Mas são nichos que são mais específicos.

:: Leia também ::

Lacunas do SUS se transformam em oportunidades para ganhar dinheiro na saúde

Clínica oftalmológica móvel faz sucesso entre pacientes de SP

Inovações tecnológicas ganham espaço no setor da saúde

Negócio fatura R$ 18 milhões com alimento para paciente com restrições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.