Reprodução
Reprodução

Teclado dobrável cabe no bolso e pode ser usado para digitar com eficiência no tablet e smartphone

Dispositivo é dividido em quatro partes e pode ser carregado em qualquer bolso

Estadão PME,

23 de janeiro de 2015 | 15h20

Sejamos sinceros, digitar em celulares e tablets não é algo muito agradável. Os dedos se adaptam à ergonomia desfavorável, mas os teclados virtuais ocupam metade de imobiliário do sua tela, o que dificulta qualquer visualização. Por outro lado, teclados portáteis tendem a ser muito pequenos, ou muito desajeitado para carregar.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Em busca de melhorar a vida de quem passa o dia ligado ao smartphone, a empresa WayTools criou um teclado em três peças, o TextBlade. Dobrado, o tamanho do dispositivo equivale à metade do tamanho de um iPhone 4 e encaixa facilmente em qualquer bolso. O layout é dividido em quatro "teclas inteligentes" de cada lado, que identificam qual letra deve ser digitada. Há também um estojo para guardar o TextBlade dobrado.

O dispositivo usa um sistema multi-touch para acessar recursos secundários. Os cantos da barra de espaço são sensíveis ao toque, que ativa símbolos e números. Além disso, combinações de teclas específicas permitem que você acesse rapidamente funções como copiar, colar e desfazer. De acordo com os criadores da ideia, por mais que seja um modelo compacto, as teclas disponibilizam mais espaço para os dedos do que teclados convencionais.

A promessa é que o TextBlade permita a digitação de mais de 100 palavras por minuto, e os idealizadores garantem que o acesso fácil a recursos secundários faz com que o dispositivo seja mais eficiente do que um teclado de laptop padrão.

O TextBlade já está em produção e o valor de venda é estimado em US$ 99. É compatível com dispositivos iOS e Android.

Tudo o que sabemos sobre:
Teclado dobráveliOSAndroid

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.