Rafael Arbex|Estadão
Rafael Arbex|Estadão

Startups de geolocalização a orgânicos são selecionadas para combater crise do coronavírus

Programa de aceleração da Prefeitura de São Paulo vai dar R$ 100 mil a cada uma das 10 empresas escolhidas para desenvolver soluções financeiras e de geração de renda no combate a recessão econômica

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2020 | 16h45

Após um mês da abertura das inscrições para o programa de aceleração de startups com foco em soluções financeiras para o combate ao coronavírus na cidade de São Paulo, a Ade Sampa, agência vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho e coordenadora do projeto, divulga a lista das 10 empresas selecionadas. Cada uma receberá aporte de R$ 100 mil e o processo de aceleração, com mentorias e dinâmicas, tem início no dia 8 de maio (com duração de dois meses e feito totalmente de forma online). 

De acordo com a Ade Sampa, 69 startups se inscreveram para participar do programa. O objetivo dele é manter empregos e geração de renda na capital durante o período de turbulência causado pela pandemia. Confira abaixo as empresas selecionadas. 

CAPPTA: do setor de meios de pagamento, a fintech apresenta uma solução de parcelamento de contas e boletos por meio de um aplicativo. Além disso, a iniciativa também pode ser uma fonte de renda para pessoas que queiram trabalhar como correspondentes lotéricos, evitando as filas nos bancos e que a população saia de casa durante a pandemia. 

Data Machina: a startup trabalha com geolocalização. Por meio de análise de dados, é possível que pequenos produtores e empresas compartilhem estoques, recursos e insumos.  

P2AS: a empresa busca expandir as funcionalidades do aplicativo SP + Segura, da Secretaria Municipal de Segurança Urbana. A ideia é compartilhar a mesma plataforma operacional para a criação de um sistema colaborativo de mapeamento geolocalizado epidemiológico para uso dos habitantes que apresentarem os sintomas de qualquer epidemia. 

RN Costa Pesquisa e Design: plataforma que oferece um sistema de organização e sistematização de informações com múltiplas utilidades:  transição off to online, gestão de informações sobre negócios locais e projetos sociais. 

Instituto Feira Livre: e-commerce que mantém a continuidade e a expansão da distribuição de alimentos orgânicos e que fortalece toda a cadeia produtiva, concentrando esforços especiais na atenção à saúde e à segurança do agricultor e do consumidor.

Fofuuu: plataforma de telemedicina para profissionais da saúde (médicos, terapeutas e fonoaudiólogos) que atua no desenvolvimento da fala em crianças.

Keepz: plataforma e aplicativo de drive thru que permite que lojas realizem a entrega de seus produtos evitando aglomerações. A solução também possibilita a conexão direta com profissionais e ou empresas, além de servir também como mapeamento de comércios regionais, promovendo assim a economia local.

Boomit: plataforma de mentorias online que funciona a partir do matching entre mentores e empreendedores. A startup conta com um módulo específico para a sobrevivência dos pequenos negócios em meio à pandemia. 

Mova: fintech de crédito emergencial para afetados pelo coronavírus. A solução cria uma ponte direta entre quem precisa de recursos e as pessoas e empresas que têm dinheiro para emprestar.

Ideias de Futuro: programa de empreendedorismo tecnológico voltado para jovens​, principalmente estudantes da cidade de São Paulo, ​totalmente online e gamificado. A iniciativa tem como foco preparar os jovens para o mercado de trabalho e para se desenvolverem profissionalmente.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. Clique aqui.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.