Divulgação
Divulgação

Startup vai vender games educacionais no varejo

Plataforma Ludz está presente em escolas da rede estadual e deve chegar ao varejo e escolas privadas em agosto

GISELE TAMAMAR, ESTADÃO PME,

19 de julho de 2013 | 18h49

De um grupo de estudos disposto a discutir como as novas tecnologias podem ajudar em um novo processo de aprendizagem surgiu a Tamboro, uma startup que desenvolve games educacionais e faturou R$ 2 milhões no ano passado. O principal produto da empresa é a plataforma Ludz, presente em projeto-piloto em 12 escolas da rede estadual de São Paulo e que deve chegar às escolas privadas e ao varejo em agosto.

A startup foi fundada por quatro sócios: Samara Werner, Maíra Pimentel, Pedro Genescá e Mario Ripper. Mas tudo começou quando Samara começou a trabalhar com educação e novas tecnologias e dirigiu a área de educação do Instituto Oi Futuro. "Meu interesse foi crescendo e há quatro anos formei um grupo de estudo na minha casa para entender o que estava acontecendo no mundo em relação às novas tecnologias aplicadas na educação", conta.

As discussões giravam em como passar de uma educação linear para uma educação adaptativa, em que o aluno aprende no seu próprio ritmo e pode ter resultados melhores. Ao chegar em um modelo favorável, o grupo de estudo se transformou em uma empresa em 2011. "Escolhemos o game como nosso ponto principal porque ele incorpora várias características que são claras para nosso modelo de educação. Ele reúne várias características que se encaixam com as teorias de neurociência e aprendizagem", explica Samara.

De um investimento inicial de R$ 400 mil dos quatro sócios, a empresa desde sua criação ganhou mais três sócios e o investimento da gestora de recursos Leblon. Após a fase de protótipo e teste, a plataforma Ludz deve chegar ao varejo em agosto com uma assinatura mensal entre R$ 12 e R$ 18 para ter acesso a todos os jogos.O usuário terá login e senha para acessar a plataforma online.

Game. Ludz é o nome do personagem do jogo, que tem a missão de salvar o arquipélago Insulan dos perigos que põem em risco a sobrevivência dos seus habitantes. E os níveis de energia das ilhas são medidos de acordo com o conhecimento acumulado.

"A plataforma tem a característica da aventura, de ser conectada com o currículo escolar do 5º ao 9º ano e ser adaptativa ao conhecimento de cada um", pontua Samara. No Ludz também é possível acompanhar o desempenho de cada usuário e comparar com outros jovens e turmas, no caso do uso nas escolas, por exemplo.

A Tamboro também prepara o lançamento do jogo Inventarium para o fim do ano. Trata-se de um curso voltado para o desenvolvimento da capacidade de fazer escolhas e definir projetos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.