Santana e Sharona (centro) cuidam do empreendimento a partir de Nova York
Santana e Sharona (centro) cuidam do empreendimento a partir de Nova York

Startup quer ser o Airbnb dos espaços de coworking

Empresa acaba de ser lançada nos Estados Unidos e, segundo seus sócios, as sondagens de interessados pelo serviço no Brasil já os faz pensar em expandir

Renato Jakitas, Estadão PME,

27 de maio de 2015 | 07h00

O sucesso arrebatador do Airbnb, empresa que faz a intermediação do aluguel de quartos para viajantes, acaba de inspirar a australiana Sharona Coutts e o mexicano Fernando Santana. Radicados em Nova York, eles lançaram uma versão da plataforma com foco no crescente mercado de escritórios compartilhados, também chamados de coworkings, por profissionais freelancers, pequenos empresários ou contratados em regime de home office.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

Batizada de SpareChair, a ideia da startup é abrir novas frentes de escritórios compartilhados, desde aqueles já nascidos para esta finalidade, como a casa de alguém, desde que ela tenha internet banda larga e espaço vago para locação.

“A ideia surgiu quando a Sharona Coutts aceitou pela primeira vez um trabalho para ser feito de casa. Sharona começou a convidar outros amigos que também eram freelancers a dividirem seu apartamento e decidiu escalar essa ideia (com o lançamento da plataforma)”, afirma Santana, que cobra um porcentual de 15% de cada locação, além de uma comissão extra de US$ 2 por transação realizada.

“No momento existem cerca de 100 espaços de trabalho (cadastrados no site) pela América. A gente ainda opera somente nos EUA, mas nos surpreendemos com o interesse pelo mundo. Pra falar a verdade, o Brasil é um dos lugares onde mais recebemos sondagens interessadas. Estamos, neste momento, trabalhando para expandir.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.