Startup prepara álbum com fotos do Facebook do assinante

Startup prepara álbum com fotos do Facebook do assinante

Em uma espécie de clube de assinatura, engenheiros escolhem e enviam até 12 imagens por mês; serviço conta com 400 assinantes

Vitor Tavares, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2016 | 06h00

A boa sensação nostálgica de ter as fotografias em mão é o motivo pelo qual os engenheiros Raphael Mendonça e Rogério Augusto investiram, há menos de um ano, em um negócio no modelo de clube de assinaturas. Os dois amigos, que trabalhavam juntos em uma multinacional, largaram os empregos para passar a entregar fotos nas casas dos seus clientes. Funciona assim: os interessados assinam o serviço da Phosfato, permitindo o acesso às suas redes sociais, e passam a receber todos os meses uma carta com surpresas em forma de retratos.

A ideia da startup é atuar como uma "fábrica de memórias". "O que a gente fez foi inverter a questão da revelação das imagens. Agora, as pessoas deixam de escolher exatamente o que revelar, e passam a ser surpreendidas em casa quando recebem as fotos escolhidas pela Phosfato", disse Rogério. O algoritmo desenvolvido pelos sócios faz uma seleção automática das imagens, evitando fotos duplicadas, mesmo se o usuário postar de novo nas redes sociais, e de uma mesma ocasião.

Atualmente, são 400 assinantes no site da startup, que optam por pacotes de seis, nove ou doze fotos, custando a partir de R$ 15,90. Cerca de 4 mil fotos impressas são enviadas para todo o Brasil, todos os meses. Os engenheiros investiram no negócio cerca de R$ 50 mil. com recursos próprios, e agora vão buscar investidores para a ferramenta. A ideia é conseguir recuperar o valor investido até o fim de 2017 "Queremos começar o próximo ano com 1 mil assinantes, apostando nas festas de fim de ano, férias", destacou Rogério, que espera captar recursos já no primeiro trimestre de 2017.

As fotos enviadas têm formato retrô, que lembra as revelações das máquinas Polaroid, e o envelope é um origami, que pode se transformar em um porta-retrato.  Ao assinar o serviço, o cliente sincoriniza a conta da Phosfato com o Instagram ou Facebook, permitindo o acesso a todo histórico das redes sociais. O assinante também tem a opção de desmarcar as imagens que não têm interesse em revelar.

De acordo os sócios, 95% do público ainda é feminino e jovem, que gosta de viajar e ter as recordações impressas. Para o próximo ano, a dupla pretende investir no e-commerce do site, lançando uma linha de produtos que tenha a ver com fotografias, como painéis e álbuns especiais, além de lançar um aplicativo para celulares.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilInstagramFacebook

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.