Reprodução
Reprodução

Startup cria receita de café com manteiga que torna as pessoas mais inteligentes e magras

O Bulletproof Coffee, como é chamado, já está sendo tomado até por executivos do Twitter

ESTADÃO PME,

05 de julho de 2014 | 07h00

Dave Asprey, fundador da Bulletproof Executive, está conquistando os Estados Unidos com uma receita de café com manteiga que promete aumentar a performance física e mental de seus consumidores. O Bulletproof Coffee (café à prova de balas, no inglês) está impulsionando as vendas da empresa e ganhando adeptos no alto escalão de companhias como o Twitter.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O produto foi criado a partir de uma obsessão de Asprey em desenvolver uma fórmula simples que fizesse as pessoas serem “melhores em tudo”. O empresário conta que toma café desde sua juventude, mas que os produtos tradicionais o faziam passar por sensações de altos e baixos devido às toxinas.

A partir desse problema, Asprey pensou em desenvolver uma nova marca de café livre de toxinas para garantir uma sensação de plenitude duradoura. Realizando diversos testes com o produto em si mesmo, ele chegou ao Bulletproof Coffee. E garante que já conseguiu elevar o seu QI em 20 pontos.

À primeira vista, o café não parece muito delicioso. Para aumentar a inteligência, é preciso utilizar os grãos certos, misturar o café com uma manteiga exclusiva (de vacas que só comem capim) e um óleo para estimular o cérebro. Confira como é a receita no vídeo abaixo.

Apesar do receio inicial de alguns consumidores, a loja online tem rendido bons resultados (a empresa cresceu 700% em receitas em 2013) e a startup se prepara para abrir sua primeira cafeteria, em Los Angeles. Pela internet, é possível comprar os ingredientes por US$ 19. Já o Brain Octane Oil, que supostamente aumenta a inteligência, custa US$ 46.

O responsável pelo setor de parcerias de esportes e entretenimento do Twitter, Omid Ashtari, é um dos consumidores e aprovou a mistura. Segundo o site Fast Company, ele está tentando convencer os executivos-chefes da companhia a oferecer o produto na empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.