Divulgação
Divulgação

Sites se especializam em vender barrinhas de cereais e granolas personalizadas para o cliente

Mais novo no mercado, MixMyBar exigiu investimento de R$ 150 mil de empresária

ESTADÃO PME,

23 de setembro de 2013 | 06h20

Tem quem não goste de uva passa, castanha de caju ou damasco. E para agradar os consumidores de produtos naturais, três sites investem na personalização. A MixMyBar vende barrinhas de cereais. Já a Monama e a My Mix apostam na granola.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O site MixMyBar foi criado pela arquiteta Inessa Sato, com investimento inicial de R$ 150 mil. Maratonista, Inessa sempre gostou de comidas naturais para melhorar a performance e resolveu fazer sua própria barrinha de cereal diante de diversas opções no mercado, mas que eram muito semelhantes.

"Eu sempre gostei de cozinhar e comecei a desenvolver a minha barrinha com as coisas que eu gostava", conta Inessa. Os familiares e amigos experimentaram o produto e os pedidos começaram a aparecer. O site, lançado há quatro meses, já conta com mais de 700 clientes cadastrados e vendeu 10 mil barrinhas.

Para comprar no MixMyBar, o primeiro passo é escolher o adoçante natural, como mel ou açúcar mascavo. Depois, o consumidor escolhe as castanhas, frutas secas e sementes. São mais de 30 ingredientes. Cada barra custa R$ 3,99 e a compra é feita por caixas (contém dez unidades).

Granola. A Monama foi criada pela empresária Camila Brennand Fortes. O começo da empresa foi na internet, mas a maior parte do faturamento atual vem das vendas em supermercados e empórios de produtos já padronizados. E o portfólio de produtos que começou com granola e barras de cereais foi ampliado. Hoje, a empresa vende de creme de avelã a pão de chia orgânico.

Já o site MyMix foi lançado em junho do ano passado, com a proposta de vender cereais personalizados. As opções vão desde granola salgada até granola com rapadura, tapioca e castanha. Todos os sites também vendem produtos padronizados como sugestões de compra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.