Epitacio Pessoa/Estadão
Epitacio Pessoa/Estadão

Site que indica cuidadores a donos de cachorros recebe R$ 600 mil de investimento

Pethub tem 4 mil usuários cadastrados e atuação na cidade de São Paulo e região do ABC

Gisele Tamamar, Estadão PME,

28 de abril de 2014 | 06h30

Donos do maltês Belinho, Sergio e Bernadete Hernandes enfrentavam sempre o mesmo problema quando iam viajar: com quem deixar o cachorro. Mesmo sem nunca ter registrado problemas com hotéis, o casal não simpatizava com essa ideia. E foi de uma necessidade pessoal que Sergio enxergou uma oportunidade de criar um site para unir donos de cachorros e cuidadores, a Pethub.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Sergio é formado em sistema de informação e sempre trabalhou com tecnologia, foi gerente de projetos em empresas da área da saúde, de telefonia, mas já não aguentava mais o trabalho no escritório. Ele chegou a ter um e-commerce de livros técnicos da área de saúde, mas ainda não era o que buscava.

A ideia do Pethub surgiu quando Sergio ia viajar para Campos do Jordão com a mulher e os sogros. "Meu sogro acabou ficando para cuidar do cachorro. Nunca aconteceu uma coisa ruim, mas nunca gostamos da ideia do cachorro ficar em hotel. Eu fui viajar e voltei pensando nisso", conta Sergio.

Sergio já conhecia o site Airbnb, onde turistas entram em contato com donos de imóveis do mundo todo, e resolveu adaptar o modelo para o universo pet, uma espécie de Airbnb para pet. "Passamos dois meses indo no Parque do Ibirapuera para conversar com donos de cachorros para saber se era um problema nosso ou se era um problema que todo mundo tinha", diz.

Com um retorno positivo, Sergio resolveu colocar a ideia em prática. Contratou uma equipe de desenvolvedores da Armênia e depois transferiu o serviço para o desenvolvedor brasileiro Francisco de Queiroz, atual sócio no negócio.

O investimento inicial dpara colocar a plataforma no ar foi de R$ 60 mil. "Vendi nossos dois carros e investi todo meu pé de meia. Resolvemos ficar sem carro e fazer a coisa acontecer", diz Sergio.

Investidores. No ano passado, o negócio recebeu a primeira de três rodadas de investimento de um grupo de cinco investidores, que vai totalizar R$ 600 mil. Um deles é o fundador da Anjos do Brasil, Cassio Spina. "Em maio do ano passado fiz um contato com o Cassio via LinkedIn. Ele se interessou, fiz uma apresentação na Anjos do Brasil e conseguimos um grupo de investidores", conta Sergio.

Plataforma. O site entrou no ar em dezembro de 2012, mas começou a gerar negócios após a primeira rodada de investimentos no fim do ano passado. Atualmente a plataforma tem 4 mil usuários cadastrados com diárias que custam a partir de R$ 25. "A hospedagem é o carro-chefe, mas temos uma série de outros serviços que agregam valor, como banhos, serviço de tosa ou treinamento", explica.

O cliente ainda pode agendar uma visita na casa de quem vai cuidar do cachorro antes de contratar o serviço. O pagamento é feito via Pethub, que fica com 15% do valor pago. O dinheiro só é repassado para o cuidador se o dono do cachorro aprovar o serviço. Nessa primeira fase, o site é focado em cachorros e em hospedagens na cidade de São Paulo e região do ABC. O plano no futuro é aumentar a área de abrangência. 

Tudo o que sabemos sobre:
PethubcachorrositeEstadão PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.