Site para turista sem dinheiro trocar trabalho por estadia pelo mundo recebe investimento milionário

Proposta agora é levar a mesma proposta para pousadas

Estadão PME,

19 de dezembro de 2014 | 13h52

O site Worldpackers, plataforma que estabelece contato entre viajantes e hostels, recebeu investimento que pode chegar até R$ 2 milhões e pretende aplicar o aporte em tecnologias que vão permitir à empresa oferecer ao usuário estadia em pousadas e outras formas de acomodação além dos hostels, modalidade de acomodação com a qual começaram a trabalhar no mercado. O valor também será usado no processo de internacionalização da plataforma e em campanhas de marketing.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Foram dois grupos de investidores que decidiram apostar na empresa. Um deles é o fundo de venture capital IndicatorCapital, que atua no mercado financeiro, e um grupo de investidores-anjo que tem como integrante Fábio Póvoa, co-fundador da Movile.

Riq Lima, diretor da Worldpackers, diz que a empresa passou a ser procurada por grupos interessados em investir na plataforma após a empresa ganhar mercado e, consequentemente, ser reconhecida em premiações para startups, como o Prêmio Estadão PME e o Demo Day, patrocinado pela IBM. O contrato com ambos os grupos se deu, segundo Lima, em função das sinergias que as empresas têm com a Worldpackers.

"Após os prêmios, começamos a receber propostas e esta parceria que fechamos com os dois grupos foi importante porque vimos que existe esforços complementares entre os integrantes, há muita coisa em comum entre as empresas. Trouxemos investidores com habilidades para o nosso mercado", explica o executivo.  

Lançado em fevereiro deste ano, o site já reúne 600 hostels, espalhados por 96 países, e tem atualmente 25 mil viajantes inscritos, de 100 nacionalidades diferentes. O número de usuários cresce a uma média semanal de 10%, segundo Lima.

Tudo o que sabemos sobre:
StartupWorldpackersNegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.