Divulgação/arquivo pessoal
Divulgação/arquivo pessoal

Site brasileiro ganha espaço no mercado de buscadores de passagem aérea

Desde que começou ainda como projeto, o site teve 4,2 milhões de acessos

Julia Mandil, especial para o Estado,

26 de abril de 2014 | 12h25

Pettersom Paiva e Tales Tommasini estão com a cabeça nas nuvens. Não é que os gaúchos estejam distraídos, mas o fato é que eles idealizaram a Voopter, um 'metabuscador' gratuito de passagens aéreas que direciona o usuário ao site que oferta a passagem mais barata. E tudo é feito sem acordos prévios com as companhias aéreas.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Lançado há dois anos no Brasil, o negócio começou a ganhar corpo em 2010, a partir de um projeto paralelo de Paiva e Tommasini quando ambos moravam na Europa. Trabalhando com grandes empresas de comércio eletrônico, os empreendedores constataram que o mercado de venda de passagens online era rentável e que a demanda por esse tipo de serviço era alta.

 

As versões iniciais foram lançadas em Portugal e Espanha, mas com os efeitos da crise econômica, eles perceberam que era hora de fazer as malas e voltar ao Brasil. "Aqui o mercado está crescendo", afirma Paiva. Desde que começou, ainda como projeto, o site teve 4,2 milhões de acessos.

O Voopter também acaba de formalizar um acordo com a investidora Global Founders Capital. Ainda que o acordo não permita a divulgação do aporte inicial, Paiva contabiliza os ganhos imediatos: expandiu a equipe – hoje composta por seis pessoas no Rio de Janeiro, duas na Europa e outros 20 outsources – e investiu em tecnologia e desenvolvedores. Tudo isso para ganhar mercado. Os sócios-fundadores pensam até em aumentar o investimento e reduzir a margem de lucro neste ano. "É uma oportunidade", diz Paiva.

Se na interface o site do Voopter se assemelha ao de buscadores como Submarino e Kayak, no funcionamento o esquema é diferente. Paiva explica que enquanto sites de viagem fazem buscas em suas próprias bases, o Voopter procura ofertas em toda a rede e direciona para onde é mais barato.

Como não existe serviço grátis, sempre que um internauta faz uma compra em um site após ser redirecionado pelo Voopter, o buscador recebe 5% do total da compra. Além disso, a marca tem contratos de compartilhamento de receita com os chamados afiliados – sites que têm a empresa como anunciante.

Dentre as inovações da empresa estão um sistema de calendário 'multidatas' e um sistema de alertas personalizado. Até o fim de maio serão lançados aplicativos para sistemas operacionais iOS, Android e Windows phone.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.