Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Setor de fast food lidera ranking de franqueadores

As 13.643 unidades em funcionamento no ano passado movimentaram R$ 9 bilhões, alta de 12% em relação a 2012

Gisele Tamamar, Estadão PME,

26 de fevereiro de 2014 | 06h33

As comidas chinesa e japonesa integram o setor de alimentação fast food no Brasil junto com hambúrgueres, pizzarias e restaurantes de massas e grelhados. São 370 redes que garantem a liderança no ranking que leva em conta o número de franqueadores. Juntas, elas representam 13,65% do total de redes de franquias no País. Só em 2013 foram registrados 16 novas redes. Os dados fazem parte do levantamento feito pela Rizzo Franchise.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

“Existe uma oferta muito grande e a tendência é aumentar ainda mais. Quando você começa a aumentar o nível de competição você começa, necessariamente, a provocar mais especialização pela diferenciação”, destaca Marcus Rizzo.

Juntas, as 13.643 unidades do setor faturaram R$ 9,3 bilhões no ano passado, crescimento de 12,7% em relação aos R$ 8,3 bilhões de 2012.

:: Leia também ::

Comida asiática rende milhões

Franqueado pagou negócio em 60 vezes de R$ 6 mil

De acordo com Marcus Rizzo, especialista na área, existe uma tendência natural das pessoas que procuram um setor para investir olharem para os negócios relacionados com a alimentação e o vestuário. “É uma coisa quase automática. Está na cabeça das pessoas que essas são duas coisas insubstituíveis como negócio, são mais visíveis”, afirma.

Entre os setores dentro do segmento de alimentação, o fast food também tem a característica de ser mais organizado, com mais estrutura. É justamente nesse aspecto que está o ponto de atenção para quem pesquisa uma franquia para investir atualmente.

Segundo Marcus Rizzo, o interessado precisa identificar exatamente o que é essa ‘organização’. A dica é conversar com franqueados. “É importante conferir essas condições com quem está na rede. E tem sempre aquela recomendação: não aceite indicações. Esse é um trabalho pessoal, uma identidade que é preciso procurar pessoalmente”, alerta.

Na média, cada franqueador do setor tem 36,9 unidades. As lojas de alimentação fast food ainda foram responsáveis pela abertura de 161.325 empregos diretos no ano passado.

Mercado. Outros dois setores também registraram crescimento na comparação de 2012 com 2013. No caso da alimentação especializada, que inclui sorvetes e chocolates, o aumento no faturamento foi de 10,97%, de R$ 28,3 bilhões para R$ 31,4 bilhões. O número de unidades passou de 9.827 para 11.061, alta de 12,5%. Já em alimentação varejo, que inclui supermercados, distribuidora de alimentos e lojas de conveniência, a alta foi menos expressiva – de apenas 2,9%, pulando de R$ 2,522 bilhões para R$ 2,597 bilhões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.