Setor ainda precisa de melhorias

Setor ainda precisa de melhorias

Serviço é apontado como importante por 75% das PMEs. Dessas, 60% buscam boa qualidade

Pedro Ramos, Especial para o Estado

30 de julho de 2018 | 23h04

Assim como ocorre com o setor financeiro, a área de telefonia e banda larga tem muito a melhor, segundo os empresários ouvidos na pesquisa 2018. “Coincidentemente, são categorias de fornecedores que têm segmentos de negócio dedicados à PME. Talvez falte organizar as ofertas. Não se trata apenas de ter um segmento dedicado, mas de construir uma oferta que maximize a relação benefício e custo que a setor busca, e não o custo x benefício”, diz Paulo Secches, diretor do instituto Officina Sophia, que realiza o estudo há três anos.

Os índices de avaliação do serviço de banda larga continuam baixos. Com os mesmos 51 pontos obtidos em 2017, a Vivo mantém a liderança nesta edição. Net, com 45 pontos, e Oi, com 32, sofreram queda e aparecem, respectivamente, na segunda e terceira posições. Para 75% das PMEs, o critério mais valorizado são os serviços. No desdobramento desse item, 60% apontaram a boa qualidade como fator importante.

Vivo oferece a PMEs soluções em TI

Ciente das dificuldades de algumas PMEs, a Vivo oferece um serviço específico para empreendedores que não contam com equipe própria de TI. “Temos soluções completas para o dia a dia do cliente”, diz Alex Salgado, vice-presidente de B2B da Vivo, área responsável pelos negócios com empresas.

Entre as possibilidades, o cliente da Vivo pode alugar equipamentos de informática, como computadores. “Ele conta com um suporte técnico ativo e um portfólio de TI, que inclui domínio, antivírus, página web, backup e segurança.”

A Vivo criou uma estrutura para atender as pequenos e médias, que, segundo a empresa, respondem por uma fatia relevante da receita. “Definimos níveis de serviços distintos para atendê-los melhor. Isso se soma ao investimento em fibra, para aumentar a disponibilidade e a qualidade da banda larga entregue aos clientes”, afirma Salgado. “Apostamos no crescimento dos canais de venda, além de capacitação e constante investimento no treinamento dessa área para melhora da performance dos nossos serviços”, diz.

Na Net, os serviços são agregados

A Net tem observado o mercado e identificou a necessidade de oferecer planos com velocidades específicas para pequenas e médias empresas, segundo seu diretor de marketing, Marco Dyodi. “Temos pessoas exclusivas para atender os empreendedores porque entendemos a importância desse setor. Oferecemos uma velocidade bem atrativa. Mudamos recentemente a velocidade para as PMEs, porque detectamos essa necessidade após olhar o mercado atentamente”, diz.

Na segunda posição no índice de satisfação da pesquisa deste ano, a Net obteve 45 pontos em Banda Larga, 16 a menos em relação ao resultado apurado em 2017. No quesito objeto de desejo, a empresa também ocupa a segunda posição no ranking, tendo sido citada por 15% das PMEs que participaram deste levantamento.

A oferta de serviços adicionais é um trunfo da Net para conquistar e fidelizar clientes. “Entregamos serviços agregados à banda larga, como site pronto, backup online, cloud server, e-mail personalizado e domínio”, explica Dyodi. “Oferecemos pacotes que o cliente pode montar com os serviços que lhe atendam melhor. Nosso serviço se diferencia de uma banda larga fixa padrão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.