Reprodução
Reprodução

Sem motorista, distribuidor dava duas voltas ao mundo por ano para entregar pedidos

Empresa foi uma das finalistas na categoria Minha História de Sucesso do Prêmio Estadão PME

Mariana Desidério, especial para o Estado,

02 de outubro de 2014 | 06h56

Durante cinco anos, o dono da Veio da Terra, uma distribuidora de produtos orgânicos, viveu uma rotina espartana: acordava às 2h da manhã, saía de Pouso Alegre (MG) e dirigia 270 km para chegar em São Paulo por volta das 5h30, antes do início do trânsito caótico da cidade. O trajeto era feito três vezes por semana. Somados, os quilômetros rodados por Claudio Azzi Fernandes são equivalentes a dez voltas ao redor da Terra. Ele foi um dos finalistas na categoria Minha História de Sucesso do Prêmio Estadão PME.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O objetivo das viagens de Fernandes era entregar verduras, legumes e frutas para os primeiros clientes da empresa, que desde 2001 atua na distribuição de alimentos orgânicos. “No início, não tínhamos funcionários. Era eu que fazia o transporte, a entrega e o planejamento”, lembra. Hoje a Veio da Terra tem 60 empregados e cresce a uma média de 30% ao ano.

Formado engenheiro agrônomo em 1997, Fernandes conta que já na faculdade se preocupava com o uso excessivo de agrotóxicos na agricultura. “O curso era muito direcionado para uso de insumos químicos. E naquela época nós já questionávamos se essa tecnologia era condizente com a realidade do agricultor familiar. Também pensávamos nas consequências desse uso para o solo, a água e para o homem que consome esses produtos”, lembra o empreendedor.

Depois de trabalhar numa empresa pública de apoio ao produtor rural, o empresário teve a sua própria experiência como agricultor. Produzia orgânicos e vendia numa feira especializada em alimentos sem insumos. Com o tempo, a feira passou a não ser suficiente para dar vazão a tudo o que ele e os outros agricultores colhiam. Foi então que Fernandes começou comprar as sobras e distribuir nas cidades vizinhas, em Minas. Logo decidiu fazer a revenda em São Paulo.

“No início eu levava tudo no meu próprio carro. Vendia para amigos, vizinhos e parentes em São Paulo. Até que precisei comprar um furgão, que também ficou pequeno. Hoje nós temos quatro caminhões, dois furgões e ainda usamos caminhões de terceiros”, afirma.

Atualmente, a Veio da Terra distribui orgânicos para redes como Pão de Açúcar, Carrefour e Casa Santa Luzia. No total, são entregues cerca de 400 toneladas de produtos por ano. A empresa também possui duas lojas próprias na capital paulista, onde oferece principalmente alimentos naturais.

Os produtos vêm de cerca de cem produtores, a grande maioria pequenos. Além de comprar os produtos, a Veio da Terra ajuda os agricultores no planejamento do plantio, acompanhamento técnico e apoio logístico. “Também fazemos questão de abrir nossas planilhas para eles, para termos uma divisão mais justa dos lucros”, diz o empreendedor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.