Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Saiba quanto você precisa investir para adquirir uma das dez principais franquias do País

Ranking elaborado pela Associação Brasileira de Franchising leva em conta o número de unidades

ESTADÃO PME,

08 de abril de 2012 | 09h30

 Recentemente, a Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou a lista das principais franquias do País conforme o número de unidades. Na liderança está O Boticário, que conta atualmente com 3.270 unidades. A décima colocação é da rede de lanchonetes Bob´s, que conta com 832 unidades.

O número de unidades pode ser proporcional ao sucesso da marca entre os consumidores, embora este não seja o único aspecto que o interessado deve considerar antes de investir o seu dinheiro em uma franquia.

::: Veja vídeo com dicas sobre como fazer a sua escolha :::

Mesmo assim, se o seu interesse é contar com uma empresa com bastante penetração no mercado, o Estadão PME revela quanto custa adquirir uma franquia das dez primeiras colocadas no ranking da ABF. Vale lembrar que o valor informado leva em conta a soma da taxa de franquia, do capital necessário para a instação e do capital de giro que é preciso ter à disposição.

Confira abaixo a lista e bom investimento.

1ª colocação

O Boticário

3.270 unidades

Entre R$ 150 mil e R$ 450 mil

2ª colocação

Colchões Ortobom

1.748 unidades

Entre R$ 93 mil e R$ 183 mil

3ª colocação

Kumon (educação)

1.565 unidades

Entre 17.660 e R$ 47.680

4ª colocação

L`Aqua Di Fiori

1.166 unidades

Entre 60 mil e R$ 145 mil

5ª colocação

Wizard

1.163 unidades

Entre R$ 74 mil e R$ 352 mil

6ª colocação

Cacau Show

1.126 unidades

Entre R$ 135 mil e R$ 145 mil

7ª colocação

AM/PM Minimark

1.118 unidades

Entre R$ 116 mil e R$ 274.843

8ª colocação

Escolas Fisk

1.002 unidades

Entre R$ 60 mil e R$ 156 mil

9ª colocação

Hoken (beleza e produtos naturais)

896 unidades

Entre R$ 23 mil e R$ 450 mil

10º colocação

Bob´s

832 unidades

Entre R$ 555 mil a R$ 1,3 milhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.