Werther Santana/ AE
Werther Santana/ AE

Redes preparam 100 lançamentos de franquias

Empresas formatam opções mais compactas e acessíveis. Feira do setor deve movimentar perto de R$ 400 milhões

Renato Jakitas, Estadão PME,

31 de maio de 2012 | 07h40

 As redes de franquias preparam o lançamento de ao menos 100 novas marcas nos próximos meses. A enxurrada de opções para quem pretende abrir o seu negócio ocorre por conta da realização – entre 13 e 16 de junho – da principal feira do setor, organizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

De acordo com Ricardo Camargo, diretor-executivo da associação, a feira deve movimentar perto de R$ 400 milhões. “A expectativa é fechar 25% mais negócios em 2012 em relação ao ano passado”, afirma Camargo. “Algumas empresas apresentarão quatro, cinco, até seis marcas novas durante o evento.”

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

É o caso, por exemplo, do Grupo Ornatus, comandado pelo empresário Jae Ho Lee. A empresa investiu R$ 4,5 milhões para aumentar seu portfólio, que já conta com marcas como Morana e Balonè (bijuterias e acessórios), além da Jin-Jin (refeições rápidas com inspiração na cozinha asiática).

Além de uma joint venture na área de acessórios (leia mais abaixo), o grupo aposta em três novas marcas no segmento de alimentação – Jin-Jin Sushi, fast-food de comida japonesa, Little Tokyo, rede de restaurantes que funciona em áreas anexas à praça de alimentação de shoppings, e o Mais Sandwich, parceria da empresa com o banco de investimento português Explorer para o mercado de lanches com apelo saudável.

Também na área de alimentação, o departamento de marketing e expansão do Habib’s vai destinar parte significativa de seu esforço durante o evento para alavancar o Box 30.

Essa franquia, menor em relação ao restaurante convencional da marca, tem o objetivo de vender salgadinhos e massas em espaços de até 70 metros quadrados. A operação foi lançada no final de 2010 e passou por testes em lojas instaladas na capital e Santos. “Agora ela está pronta para ser massificada”, garante João Penna, diretor de expansão da rede. “Queremos abrir oito lojas até o final do ano e chegar a mil unidades em cinco anos”, planeja.

Medicamento

A Farmais, rede de drogarias que integra o Grupo Brazil Pharma, pretende aproveitar a feira para colocar em curso seu novo modelo de negócios, que prevê metas agressivas de expansão para os próximos anos. Com 358 lojas, número que mantém-se praticamente inalterado desde 2010, a Farmais vai abandonar o modelo técnico que tradicionalmente emprega para a escolha dos franqueados que operam sua marca.

“A Farmais sempre foi tímida, apenas convertia farmácias existentes para a bandeira da rede. Agora, não. Queremos ser opção para o investidor que não sabe se abre uma franquia de pão de queijo ou uma drogaria”, afirma Renato Lobo, diretor de relações com investidores da empresa. Para ganhar terreno, o executivo conta que a empresa passou por uma profunda reestruturação.

“Agregamos alguns funcionários egressos de outras áreas, como logística, varejo e serviços, e assim formatamos um novo processo, que torna possível para qualquer investidor ser proprietário de uma farmácia”, garante Lobo.

A ideia da Farmais, pelo menos na essência, não difere da estratégia da Onodera, que dispõe de 54 clínicas de estética corporal e facial espalhadas pelo País – nove lojas próprias e as demais franqueadas. A rede pretende lançar um novo formato de franquias, com desembolso inicial até 40% menor por parte do investidor. Trata-se de uma espécie de “franquia light” para cidades de pequeno e médio porte (a partir de 250 mil habitantes). “Existem cidades em que não se justifica o investimento de R$ 420 mil para uma clínica de 200 a 400 metros quadrados. Projetamos um negócio menor (150 a 200 metros quadrados) e com aporte inicial de R$ 290 mil”, afirma a diretora da rede, Lucy Onodera.

Empresas se unem de olho em novos mercados

O interesse em experimentar um mercado praticamente inexplorado no Brasil – lojas de rua em cidades com até 80 mil habitantes – uniu empresários do setor de franquias. Batizada por Love Brands, a primeira unidade abre as portas na cidade de São José do Rio Pardo, que fica no interior de São Paulo.

É uma forma de fugir do setor de shoppings, que está inflacionado no Brasil”, diz Jae Ho Lee, dono do Grupo Ornatus.

O Grupo anunciou que entrará na parceria com a marca de acessórios Balonè.

Além de Jae Ho Lee, a nova empresa congrega os empresários Adolfo e Cláudio Boberow, da Puket, especializada em vender meias, lingeries e pijamas, e Carlos Zilli, que administra a Imaginarium, loja de presentes com apelo no fundesign.

Para aderir ao negócio, o investimento inicial do franqueado oscila entre R$ 75 mil e R$ 120 mil.

As lojas, por sua vez, são de pequeno porte, entre 50 e, no máximo, 80 metros quadrados.

“Esse é um caminho natural. Os franqueados estão se tornando profissionais do segmento e administram três, cinco franquias cada um. Se não ofereço um portfólio amplo de opções, ele tende a partir para outra marca”, analisa o fundador do Grupo Ornatus.

O executivo Ettore Daniele (ex-gerente comercial de O Boticário) é quem comandará a empresa, O plano inicial de expansão inclui cidades do Sudeste e Sul do País. Estão previstas 10 lojas até o final de 2012 e 206 unidades até 2016.

Tudo o que sabemos sobre:
FranquiasEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.