Realidade virtual permite sentir objeto sem efetivamente tocá-lo

Realidade virtual permite sentir objeto sem efetivamente tocá-lo

Sensores e ultrassom são usados para virtualizar superfícies

Estadão PME,

17 de junho de 2015 | 07h10

Realidade aumentada deverá ser o foco de pesquisa de muitas empresas no futuro, já que esta tecnologia tem aplicações comerciais diversas e pode impactar na maneira com a qual interagimos com objetos do cotidiano.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

::Twiter::

::Facebook::

::Google::

Uma startup da Inglaterra têm se dedicado a desenvolver este tipo de tecnologia com a meta de aumentar a experiência visual dos usuários. A Ultrahaptics criou um meio de combinar sensores e ultrassom para reproduzir superfícies de objetos.

A tecnologia foi estreada na CES 2015, uma das maiores feiras de tecnologia do mundo. Durante o evento, os visitantes puderam sentir virtualmente sensações de estourar plástico bolha, por exemplo. O potencial comercial da tecnologia pode revolucionar o mercado de jogos e entretenimento, segundo a startup inglesa.

Tudo o que sabemos sobre:
TecnologiaVirtualGames

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.