Felipe Gabriel
Felipe Gabriel

Programa vai acelerar negócios de impacto com foco em tecnologia

Iniciativa da 1Bi Labs vai selecionar seis projetos que atendem jovens em situação de vulnerabilidade para uma jornada de três meses com treinamentos e mentorias; ao final, protótipo vencedor receberá R$ 10 mil de investimento

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2022 | 10h00

Aliar o propósito de promover mudanças com sustentabilidade financeira e crescimento é um dos desafios dos negócios de impacto social. Criados para solucionar problemas sociais da população vulnerável, esses empreendimentos ainda carecem de apoio, segundo percepção apontada em pesquisa da Fundação Getúlio Vargas com a Fundação Arymax.

Para impulsionar esse movimento de transformação, a 1Bi Labs, aceleradora da Fundação 1Bi, vai selecionar seis projetos de ensino de tecnologia que atendam jovens em situação de vulnerabilidade social ou grupos minorizados para um programa de aceleração. ONGs e negócios de impacto atuantes nessa área podem se inscrever até o dia 30 de janeiro neste site.

Essa é a segunda edição do programa, em que os selecionados vão receber treinamentos e rodadas de mentoria com especialistas do mercado durante três meses. Os principais tópicos abordados serão negócios, estratégia de impacto social e mensuração de impacto, aprendizagem e tecnologia, futuro da tecnologia e mercado de trabalho, além de sustentabilidade financeira.

Para participar, a seleção levará em conta o impacto do projeto, tendo em vista a quantidade de pessoas que podem ser beneficiadas, possibilidade de escala, diversidade regional e motivação da organização em participar do programa.

No início, as organizações passarão por um raio X a fim de identificar os desafios e, ao fim dos três meses de aceleração, devem apresentar um protótipo para solução deles. O vencedor, escolhido com base na evolução do desafio e escalabilidade do projeto, receberá um investimento de R$ 10 mil.

Com o intuito de ampliar o acesso desses negócios a investimentos, empresas de tecnologia serão convidadas para as apresentações finais a fim de conhecerem o trabalho de todos os participantes.

A pesquisa da FGV/Arymax apontou que a maior parte dos empreendedores sociais acredita que o acesso ao capital é um desafio relevante para a organização, sendo mais forte para os negócios da periferia. Numa escala de 1 a 7, em que 1 é totalmente insatisfatório, a pontuação entre os empreendedores da periferia quanto a obter recursos financeiros é de 2,59. Fora dali, a satisfação fica em 4,27.

A primeira edição do programa de aceleração da 1Bi Labs, que ocorreu entre janeiro e março de 2020, selecionou seis instituições distribuídas entre São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte e Campinas.

Os destaques foram a ONG WoMakersCode, que tem a missão de inspirar e impulsionar meninas e mulheres que desejam ingressar ou se especializar em carreiras ligadas à tecnologia e inovação, e o Tecnogueto, um projeto de educação gratuita de tecnologia que tem como objetivo ajudar pessoas de guetos sociais a se inserirem no mercado tech.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.