Programa quer transformar 20 mil desempregados do ABC em empreendedores

Programa quer transformar 20 mil desempregados do ABC em empreendedores

Foco da ação é capacitar ex-funcionários do polo automobilístico da região, que passa por momento de desaquecimento nas vendas

Vivian Codogno, O Estado de S. Paulo

05 de setembro de 2016 | 12h50

O Sebrae-SP lançou nesta segunda-feira (5), na cidade de Diadema, em São Paulo, um pacote de capacitação profissional que tem como objetivo ajudar 20 mil ex-funcionários do setor automotivo a empreender na área e, assim, driblarem o desemprego crescente na região por conta do desquecimento das vendas enfrentando pelas montadoras no mercado interno. Segundo dados do Dieese, 240 mil trabalhadores do setor foram demitidos em 2015.

Entre atendimento e consultoria empresarial, o programa do Sebrae envolve também cursos gratuitos para microempreendedores que faturam até R$ 60 mil ao ano. Há opções de mecânica de motores a diesel, mecânica de refrigeração e climatização, mecânica de automóveis, eletricista industrial, entre outros.

 

"O ABC é o epicentro da indústria no Brasil e é também o epicentro do desemprego na indústria", comenta Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae Nacional. "O desempregado do ABC é qualificado, e para ele o desemprego abre caminho para um outro tipo de oportunidade", completa.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

 

Nas próximas duas semanas, sete unidades móveis da entidade devem percorrer todas as cidades do Grande ABC com atendimento preliminar a empreendedores que buscam formalização. A agenda de atividades pode ser consultada no site do Sebrae-SP. 

Livre comércio. Afif anunciou, também, a costura de um tratado de livre-exportação entre microempresas do Brasil e da Argentina, com um teto de faturamento estabelecido em R$ 10 milhões ao ano. O projeto, que deve ser implementado ainda neste ano, prevê a criação de operadores logísticos internacionais, agentes que devem dissolver a burocracia da exportação.

 

"Tem que ser tão fácil vender para a Argentina quanto vender para Belém, no Pará, ou para a Bahia", pontua Afif. "O primeiro passo para simplificar é a conversibilidade direta", aponta o presidente, que projeta eliminar o dólar como referência de câmbio para as trasações entre MPEs dos países do Mercosul.

Programa. Com um investimento de R$ 25 milhões em cursos de capacitação voltados para microempreendedores individuais, o Sebrae-SP quer abrir 50 mil vagas para a “base da pirâmide” dos empresários brasileiros, formada por negócios que faturam até R$ 60 mil por ano. O principal objetivo do programa, batizado de Super MEI é qualificar o crescente número de microempreendedores individuais registrados em São Paulo.

 

A elevada taxa de desemprego registrada nos últimos meses – 11,3%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – levou muitas pessoas a se tornarem MEIs. De janeiro a abril de 2016, a abertura de empresas dessa natureza totalizou 540,7 mil unidades, alta de 10,4% sobre o mesmo período de 2015. 

Segundo o Serasa Experian, os MEIs representaram 80% das naturezas jurídicas registradas no período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.