Cristiane Bonfanti
Cristiane Bonfanti

Programa para pequenas indústrias mostra que 73% inovam processos

Parceria entre Sebrae e CNI, Procompi injeta R$ 23 milhões em mais de 2 mil micro e pequenas indústrias pelo País nesta quinta edição; pesquisa com beneficiadas revela inovação e ajustes de produção

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2019 | 06h30

Balanço parcial do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi) revela que 73% das empresas atendidas neste atual ciclo revelaram ter implantado ou aperfeiçoado processos e ofertado novos produtos ou serviços com a ajuda do programa.

O Procompi, que é fruto de uma parceria do Sebrae com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), destina R$ 23 milhões a 2.277 empresas em 22 Estados nesta quinta edição, que começou em 2016 e vai até o próximo ano. O balanço parcial deverá ser divulgado nesta quinta (15) durante evento do programa em Maceió.

As micro e pequenas empresas atendidas atualmente estão distribuídas em 19 setores industriais, como têxtil, alimentos e metalmecânico. Entre as beneficiadas, está a alagoana Coach Camisaria & Uniformes, que está no Procompi desde o ano passado.

Na pequena indústria de 12 funcionários, as consultorias do programa ajudaram a padronizar processos e melhorar o fluxo de produção, com adequações físicas como o rearranjo do chão de fábrica. Para Luiz Carlos Silva, sócio-proprietário da Coach, as melhorias ajudaram a acelerar o processo de distribuição, além de ter levado a empresa a renegociar preços e se tornar mais competitiva.

Competitividade dos pequenos

A redução dos custos de produção é um dos enfoques do programa e, dentre as empresas que sofreram ações específicas para isso, como a Coach, a média foi de 34% de redução.

A Coach é uma das mais de 8 mil empresas que já foram ou ainda são atendidas pelo Procompi desde sua criação, em 2000. De lá para cá, foram R$ 109 milhões de ajuda a micros e pequenas indústrias, investimento que tem origem no Sebrae, na CNI, em federações de indústria e empresas parceiras.

Só para Alagoas, onde está a Coach, o valor foi de R$ 1,3 milhão para beneficiar 104 empresas, com projetos desenvolvidos em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Alagoas (Fiea) e do Sebrae-AL. Especificamente no caso das empresas da área têxtil, o balanço mostra que tiveram um incremento de 41,67% na produtividade com o programa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.