Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Programa “Favela Mais” vai incentivar empreendedorismo em comunidades de SP

Projeto em parceria com a Central Única das Favelas começa neste sábado, 20; nele, empreendedores vão poder regularizar suas empresas e participar de cursos de capacitação.

Mariana Duraes, Especial para O Estado

19 de maio de 2017 | 17h02

O Sebrae Nacional vai realizar nas comunidades de Paraisópolis e Heliópolis o "Favela Mais", programa que visa incentivar o empreendedorismo nesses bairros. O projeto, que é uma parceria com a Central Única das Favelas, começa neste sábado, 20, às 11 horas. Nele, empreendedores vão poder regularizar suas empresas e participar de cursos de capacitação. 

Para participar, os interessados devem procurar os centros educacionais unificados de Paraisópolis e Heliópolis. O projeto também levará aos empreendedores locais soluções como os programas de qualificação do Microempreendedor Individual (MEI). Com isso, o “Favela Mais” quer ajudar na legalização dos empreendimentos das comunidades, já que uma atualização da Lei Geral da Micro e Pequena empresa permitiu desconectar a legalidade do imóvel com a legalidade do negócio. 

Além disso, o programa irá aproveitar a base do programa Negócio a Negócio, que promove visitas de Agentes de Orientação Empresarial para diagnosticar melhorias na gestão de empresas para treinar os moradores como orientadores na formalização dos negócios. Segundo o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, a maioria das empresas nestes locais é formada por pequenos negócios, que geram emprego e renda. “E ajudam a desenvolver a região, pois o dinheiro que circula fica no bairro”, diz.

Por isso, será disponibilizado o programa SUPERMEI, lançado em parceria com o Sebrae em São Paulo no ano passado, que visa requalificar pessoas nas profissões que faltam no mercado, como encanador e eletricista, para transformá-los em microempreendedores individuais. Serão fornecidas, ainda, orientações sobre acesso ao microcrédito por meio do Desenvolve SP, para capital de giro, melhorias no negócio, estoque e equipamentos. 

De acordo com o Sebrae, considerando as duas favelas, são mais de cinco mil comerciantes, além do potencial para surgimento de novos negócios, além dos que ainda precisam ser formalizados. As duas comunidades têm cerca de 300 mil habitantes (Heliópolis com mais de 200 mil e Paraisópolis aproximadamente 100 mil), com economia local ativa e alguns pontos de wifi. 

O “Favela Mais” tem o apoio da Prefeitura de São Paulo e do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). Assim, por meio do MDSA, o Governo Federal entra no projeto fornecendo acesso ao cadastro do Bolsa Família, permitindo que o Sebrae ofereça aos beneficiários do programa a oportunidade de montarem seu próprio negócio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.