Divulgação
Divulgação

Produto que permite monitorar o preparo de carne à distância ganha um fã: Mark Zuckerberg

Dono do Facebook falou sobre o produto em seu perfil do Facebook. Foi o que bastou para a empresa iDevices ficar conhecida

ESTADÃO PME,

05 de setembro de 2012 | 08h24

 A iDevices é uma empresa cujo objetivo é desenvolver aplicativos e soluções para aparelhos da Apple. E a empresa, como tantas outras startups ao redor do mundo, busca relevância em um mercado feroz e extremamente competitivo. Por isso, a ajudinha que a empresa recebeu no fim do mês passado do criador do Facebook, Mark Zuckerberg, elevou o principalk produto da empresa - o iGrill - a objeto de desejo de milhões de pessoas ao redor do mundo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O criador do Facebook simplesmente postou em seu perfil na principal rede social do planeta um comentário sobre o iGrill. "Eu atualizei o meu aplicativo iGrill hoje e agora ele é integrado com o Facebook, o que permite que você veja o que as pessoas estão grelhando ao redor do mundo. Sensacional".

Resultado: o site da empresa ficou fora do ar por duas horas tamanho o tráfego espontâneo gerado por um único, embora mais do que relevante, post no Facebook. "Fomos surpreendidos pelo post", resumiu o CEO da iDevices, Chris Allen.

O iGrill, produto desenvolvido por sua empresa, permite ao usuário monitorar o preparo de carnes à distância. Para isso, é preciso baixar um aplicativo que funciona no iPhone, iPod Touch e iPad. Mas é preciso também comprar um termômetro que permite o monitoramento. E é aí que a empresa ganha dinheiro, afinal, a engenhoca custa quase US$ 80.

A lição do episódio parece reforçar o poder da opinião dos consumidores. Hoje em dia, parece que apenas um comentário nas redes sociais - principalmente se a opinião for emitida por Mark Zuckerberg - basta para sua empresa e seu produto conquistarem relevância.

Vídeo mostra como o produto funciona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.