Filipe Araújo/Estadão
Filipe Araújo/Estadão

Preocupação o tempo todo com o fã; o que Bruce Springsteen pode ensinar aos empreendedores

Músico também aposta em um time de primeira para ser capaz de inovar o tempo todo

DANIEL FERNANDES, ESTADÃO PME,

20 de setembro de 2013 | 13h52

 São 28 álbuns de estúdio. Sete registros de shows gravados e 12 DVDs lançados. Ele é dono daquele que é considerado o melhor show de rock da atualidade. E uma das principais atrações do festival Rock In Rio. O cantor, compositor e guitarrista Bruce Springsteen, um dos maiores nomes da música norte-americana tem chamado a atenção no País pela atenção que dispensa aos fãs. E essa característica pode ajudar o empreendedor a entender o que é preciso fazer para transformar consumidores em clientes, verdadeiros devotos dos produtos ou serviços ofertados.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + :: 

A primeira lição que Bruce mesmo que involuntariamente deixa aos empreendedores é a de que não importa a quantidade de fãs (ou clientes). O atendimento deve ser espetacular, inesquecível. Na última quarta-feira, dia 18, o músico acompanhado pela E-Street Band tocou para sua menor audiência em anos - não há divulgação oficial do público presente no Espaço das Américas, mas estima-se que cerca de 5 mil pessoas acompanharam a apresentação. Vale lembrar que Bruce costuma tocar apenas em estádios - na sua recente passagem pela Itália ele apresentou-se no San Siro para mais de 50 mil pessoas.

O músico poderia desprezar os fãs e realizar uma apresentação morna. Mas todo fã é importante (todo cliente também) e o show de Bruce Springsteen teve aproximadamente três horas e meia de duração. E o contato com o público foi intenso. Ele pulou na audiência, fez um namorado pedir a namorada em casamento e, depois de tudo isso, ainda retornou sozinho ao palco para tocar uma última canção. Apenas com sua voz, violão e uma gaita.

Mas se o cliente é importante, customizar o que você pretende entregar conforme o gosto do cliente também. Isso vale para os empreendedores. E para o mundo da música. Bruce sabe disso e abriu o show de São Paulo executando uma versão - cantada em ótimo português - da música Sociedade Alternativa de Raul Seixas. Conquistou o publico consumidor na mesma hora.

Mas os ensinamento de The Boss - apelido que diz muito sobre a personalidade do músico - não param com as observações mais atentas da passagem do cantor pelo Brasil. E vale registrar que ele, ao chegar para o show em São Paulo, fez questão de caminhar até os fãs para tirar fotos. Bruce tem uma equipe de primeira. A E Street Band é composta por 17 músicos capazes de executar com eficiência todo o extenso repertório do artista. E a qualificação da mão de obra é importante para deixá-lo improvisar o quanto quiser no palco. E ele costuma fazer muito isso. O tempo todo. Sempre pensando em agradar o consumidor-cliente.

Tudo o que sabemos sobre:
Bruce Springsteen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.