Prazo para PMEs mudarem para o Simples Nacional vai até dia 28

Pequenas e médias empresas com receita bruta anual de até R$ 4,8 milhões podem mudar regime tributário para já valer em 2019

Mateus Apud *, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2018 | 10h06

Regime tributário que permite o recolhimento de oito impostos municipais, estaduais e federais em uma só guia de pagamento, o Simples Nacional é voltado para micro e pequenas empresas com receita bruta anual de até R$ 4,8 milhões.

Para quem deseja responder como Simples já em 2019, o agendamento deve ser feito até o dia 28 de dezembro no portal da Receita. Depois do agendamento, serão antecipadas as chamadas pendências impeditivas da empresa (como débitos com a Receita Federal). Depois de deferido o pedido, a partir de 1º de janeiro já começa a valer o ingresso.

Apesar de na prática o Simples facilitar a vida do empreendedor de pequeno porte, ele pode não ser vantajoso para todo mundo. Por exemplo, quanto maior a porcentagem da receita que a empresa gasta com folha de pagamentos e encargos, mais recomendável é o benefício do Simples, pois irá representar uma redução de impostos, explica Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil.

Por outro lado, uma das desvantagens do Simples é que, como o recolhimento é feito com base no faturamento e não no lucro, a carga tributária será a mesma, mesmo que sua empresa apresente prejuízo.

Para as empresas que já são tributadas no Simples, o processo de manutenção é automático. Contudo, deve-se ficar atento, pois as empresas que não quitarem débitos tributários podem ser excluídas do regime.  "A Receita Federal está enviando notificações às empresas devedoras, mas, mesmo sem receber essa mensagem, é importante fazer uma pesquisa e, caso tenha pendências, pagar”, diz Domingos.

* Estagiário sob a supervisão do editor de Suplementos, Daniel Fernandes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.