Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Posto de combustível é alternativa para franquia expandir

Instalação é mais barata em comparação com shopping, mas escolha do ponto exige cuidados dos franqueados

GISELE TAMAMAR, ESTADÃO PME,

30 de agosto de 2012 | 14h20

Você vai abastecer o carro e aproveita para comer um lanche, comprar um remédio e deixar a roupa para lavar. A praticidade não é o único atrativo das lojas instaladas em postos de combustíveis. Elas também são alternativas para o setor de franquias crescer diante da escassez de pontos comerciais e alto custo do aluguel em shoppings.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

De acordo com o diretor-executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Ricardo Camargo, a tendência começou com a chegada de lojas e restaurantes em postos localizados em estradas. O conceito evoluiu para as metrópoles e ganhou destaque com a dificuldade do empreendedor conseguir um espaço comercial em grandes cidades.

A principal vantagem de optar por esse tipo de negócio é o valor do aluguel. No posto, segundo a ABF, o custo pode variar entre 7% a 12% do faturamento. No shopping, de 10% a 20%, fora a taxa que corresponde à aquisição do ponto.

Por outro lado, o local terá um tráfego menor de pessoas em comparação com o shopping, o que reforça ainda mais a importância de se escolher muito bem o ponto. “Jamais escolha o lugar pelo valor. Mas sim de acordo com a característica do negócio e a localização”, afirma o especialista em franquias Marcus Rizzo.

Em geral, as redes avaliam a operação comercial do posto, mix de serviços e produtos, área do estacionamento e fluxo de veículos por dia. “A tendência é aumentar ainda mais o número de franquias nesses espaços. Até em cidades menores, sem shoppings, o posto pode se tornar um ponto de referência”, diz Camargo.

A rede de lavanderias 5àSec teve sua primeira experiência há 13 anos e continua apostando no modelo de negócio. Neste ano, já foram inauguradas três unidades, mais três estão em construção e outros três locais estão em estudo. “O cliente ganha conveniência, as redes obtêm parcerias estratégicas e o dono do posto ganha fidelização do cliente”, afirma Nelcindo Nascimento, diretor-geral da 5àSec América Latina.

Fundada nos Estados Unidos, a rede de franquias Subway trouxe para o Brasil a característica de abrir lojas em pontos não tradicionais. A expectativa é fechar o ano com 1.050 lojas no País, sendo 10% em postos de combustíveis.

Depois de procurar um espaço comercial na região dos Jardins, em São Paulo, e se deparar com a dificuldade de achar um local disponível e com custo dentro do plano de investimento, a relações públicas Roberta Kuroda Bazaglia, 31 anos, optou por abrir uma franquia da Subway em um posto de combustível próximo ao Aeroporto de Congonhas. “Queríamos um local perto de casa, mas foi inviável. O posto foi uma boa escolha, tem rotatividade e oferece segurança”, relata a empresária.

A unidade atende entre 150 e 200 clientes diariamente e divide o espaço com uma farmácia, uma loja de conveniências e um restaurante japonês. O empreendimento está indo tão bem que Roberta tem planos de abrir uma nova unidade da rede, também em um posto de combustível.

Expansão

O Grupo Trigo, responsável pela operação das redes Spoleto e Domino´s Pizza, aprova o tipo de instalação. “Conforme o Spoleto cresce, os pontos ficam escassos, o que gera a necessidade de desenvolver outros modelos para continuar crescendo”, afirma o gerente de expansão do Grupo Trigo, Marcelo Garcia. Atualmente, existem seis unidades do Spoleto em operação em postos e seis em negociação.

No caso do Habib´s e do Box 30, não há um plano específico de expansão em postos e sim uma avaliação conforme os pontos de interesse aparecem. “As vendas de combustível chegam a aumentar entre 20% e 30% com a instalação da nossa franquia”, diz o diretor de expansão das redes, João Penna.

:: Fique atento ::

Fluxo

Loja em posto de combustível tem menos concorrência em comparação com loja em shopping, mas por outro lado, fluxo de pessoas é menor.

Conceito

Avalie se o negócio tem a característica de passagem ou destino e se a localização do posto favorece a loja.

Ponto

Redes avaliam itens como operação comercial, fluxo de veículos, estacionamento e mix de serviços e produtos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.