Reprodução
Reprodução

Polonês cria saga de games de sucesso e recebe elogios de Barack Obama

Inspirada em livros de autor polonês, a série The Witcher já vendeu mais de 7 milhões de cópias

Estadão PME,

03 de julho de 2014 | 13h00

O polonês Marcin Iwinski realizou o sonho de trabalhar no mercado de games e criou a série de jogos mais bem-sucedida do seu país. A saga The Witcher já vendeu mais de sete milhões de cópias em todo o mundo e tornou sua produtora, a CD Projekt, uma das empresas mais rentáveis do segmento.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A CD Projekt só surgiu em 2002, mas sua história começa bem antes, na década de 80, quando a Polônia ainda vivia na “cortina de ferro” da União Soviética. Tudo começou quando o pai de Iwinski viajou à Alemanha e conseguiu comprar um vídeo game para presentear o filho no Natal, juntamente com jogos clássicos como o Atic Atac.

O primeiro contato com o mundo dos games foi um caminho sem volta para Iwinski. Apaixonado pelos jogos, em 1994 ele decidiu investir no mercado e montou o próprio negócio em parceria com Michal Kicinski, seu amigo de colégio. Os dois começaram a importar cópias de jogos dos Estados Unidos e a revender no país. A iniciativa foi um sucesso comercial e fez com que os empreendedores decidissem formalizar a empresa anos depois.

Com a criação da CD Projekt, os amigos decidiram montar o próprio setor de softwares para começar a produzir os próprios jogos. Foi então que eles conseguiram fechar um contrato para realizar a saga The Witcher, inspirada nos livros homônimos do polonês Andrzej Sapkowski, que escreveu um épico medieval nos moldes de O Senhor dos Anéis e Game of Thrones.

Contudo, para tornar o projeto rentável, eles tiveram de enfrentar a pirataria no próprio país. A estratégia foi traduzir todos os jogos do inglês para o polonês e contratar atores nacionais de peso para representar os personagens do game. Além disso, os empresários passaram a disponibilizar cópias de clássicos mais antigos a preços módicos para competir com os downloads ilegais.

Os empresários investiram US$ 7,2 milhões no primeiro jogo, que levou cinco anos para chegar às prateleiras. Daí em diante, o game se tornou um sucesso comercial. Até mesmo o presidente dos Estados Unidos recebeu uma cópia de presente ao visitar o primeiro-ministro polonês, Donald Tusk. E, apesar de não ter jogado, Obama elogiou o game.

“Confesso que não sou muito bom de vídeo games, mas me disseram que esse é um bom exemplo do lugar da Polônia na nova economia global”, disse o presidente.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.