Monica Bento/AE
Monica Bento/AE

Política fiscal ajuda no controle da inflação, diz BC

Ministro Mantega anunciou um aumento de R$ 10 bilhões no superávit primário das contas do setor público em 2011

Agência Estado,

08 de setembro de 2011 | 13h04

 Em linha com o discurso do ministro da Fazenda, Guido Mantega, o Banco Central (BC) afirma na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada na manhã de hoje, que está em curso um processo de consolidação fiscal no Brasil. Sem citar medidas específicas, o BC fala em "revisão" do cenário para a política fiscal, que tornou o balanço de riscos para a inflação mais favorável.

Antes da reunião do Copom, o ministro Mantega anunciou um aumento de R$ 10 bilhões no superávit primário das contas do setor público em 2011. Esse aumento do superávit será garantido graças, no entanto, à elevação da arrecadação. O superávit primário é a economia do governo para o pagamento dos juros da dívida pública.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

"Cabe enfatizar que, desde o início deste ano, importantes decisões foram tomadas e executadas, e reforçam a visão de que está em curso um processo de consolidação fiscal. A esse respeito, na avaliação do Comitê, a recente revisão do cenário para a política fiscal torna o balanço de riscos para a inflação mais favorável", diz a ata.

Projeção da inflação

Apesar de reduzir a taxa básica de juros da economia (Selic), o Banco Central projeta uma inflação maior em 2011. Para o ano que vem, no entanto, as projeções de inflação recuaram e estão hoje "ao redor" do centro da meta, de 4,5%, tanto para o cenário de referência quanto para o de mercado.

O cenário de referência leva em conta as hipóteses de manutenção da taxa de câmbio em R$ 1,60 e da taxa Selic em 12,50% ao ano em todo o horizonte relevante. Neste cenário, a projeção para a inflação de 2011 se elevou em relação ao valor considerado na reunião do Copom de julho e se encontra acima do valor central de 4,5%.

No cenário de mercado, que leva em conta as trajetórias de câmbio e de juros coletadas pelo BC junto a analistas de mercado no período imediatamente anterior à reunião do Copom, a projeção de inflação para 2011 também se elevou e se encontra acima do valor central da meta para a inflação. Para o primeiro semestre de 2013, a projeção de inflação recuou no cenário de referência e permaneceu estável no cenário de mercado, nos dois casos posicionando-se ao redor do valor central da meta. 

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoImpostosEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.